IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Biografias – Gente da Vila
Rio, 5/11/2011
 

Délio Pinto Ribeiro

DÉLIO Pinto Ribeiro, nasceu em Vitória, ES, filho de Francisco e Deosolinda, a Dona Deusa. O pai faleceu em 1980 e a Dona Deusa mora num aparta-mento ao lado do Délio, tem boa saúde e é uma católica praticante. Completou 91 anos em abril desse ano.

Quando o Délio tinha 1 ano de idade a família veio morar no Rio de Janeiro. Délio, filho de pais católicos, era católico. Aos 23 anos de idade casou-se com a Marilene, também católica na Igreja Coração de Maria. Mas só iam à igreja nos dias de alguns santos, como São Sebastião, São Jorge e Nossa Senhora de Fátima). Gostava de ouvir diari-amente na Rádio Jornal do Brasil, às 20:30h, as reflexões feitas por Dom Marcos Barbo-sa, do Mosteiro de São Bento. “Além de gostar das reflexões, eu achava interessante por-que ele era um padre que não falava dos santos, a não ser os doutores da igreja, como Agostinho, Tomaz de Aquino, Inácio de Loyola e Francisco de Assis”.

Depois passou a ouvir de manhã no rádio do carro quando ia pro trabalho um missionário evangélico que tinha um programa chamado “Café Espiritual”. O nome desse missionário era o do Pastor Evangélico Roberto McAlister, que anos depois fundaria a Igreja de Nova Vida, sendo o primeiro bispo dela. Isso aconteceu praticamente todas as manhãs de 1964 a 1973.

Em 1973 começou a construir uma casa de praia em Iguaba, na Região dos Lagos. Ia e voltava de ônibus. Na volta o ônibus o deixava na Boulevard 28 de Setembro, bem de-fronte da Igreja Metodista de Vila Isabel. Num domingo daquele ano, quando voltava de Iguaba, estava muito preocupado com os gastos da obra, e escutou a voz de alguém que falava lá dentro da igreja. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas as demais coisas vos serão acrescentadas”, foi o que ouviu. Era mais ou menos 19:30h. Entrou no templo, que tinha apenas umas 10 pessoas no culto além do pastor, que mais tarde soube ser o Pastor Acyr Goulart. Ficou até o fim do culto. Mas não voltou mais.

Um dia quando cortava o cabelo, o jovem barbeiro deu de presente ao fiel cliente a revista “A Mensagem da Cruz”. Délio leu a revista e gostou tanto que passou a ser assinante dela.

Em 1986 a esposa Marilene, a convite da Nice, esposa do Rui, veio participar de uma reunião da Sociedade de Mulheres numa terça-feira à tarde. Gostou e passou a participar com freqüência da Sociedade de Mulheres. O Délio chegava ao final das reuniões para apanhar a esposa. “Foi numa dessas minhas vindas para pegar a Marilene que em 1988 fui apresentado pela Marilene à Dona Ilka Carvalho, que hoje é membro da Igreja Metodista do Jardim América, aqui no Rio. A Marilene falou: ‘Esse é meu marido Délio!’ Aí a Dona Ilka se dirigiu a mim perguntando se eu era membro da Igreja. Respondi que não. Dona Ilka então virou-se pra mim, e apontando para o altar da Igreja, me disse: ‘Você vai aceitar Jesus como seu Senhor e vai ser batizado ali naquele altar!’ Não levei a sério, mas em 1991 quando eu fui batizado naquele altar, eu me lembrei das palavras de Dona Ilka. A profecia dela se realizou!”

Numa das visitas esporádicas à igreja, num culto de oração na terça-feira à noite, a-conteceu algo que vi o poder de Deus. Tínhamos vindo nesse culto de oração especial-mente para orar por uma criança da nossa família que estava internada em estado grave no CTI com Meningite. “A Marilene apresentou ao Pastor Paulo Vieira o pedido de oração e Marilene disse que no momento em que o Pastor Paulo orava, ela sentiu algo especial em seu coração, um conforto, uma fé muito grande. O Pastor Paulo dirigiu-se a mim e Marilene ali no altar e nos disse: ‘Vão em paz! O menino está bem!’. Pensei naquele mesmo momento: ‘o Eduardo vai estar bem porque vai falecer e vai estar com Deus!’. Mas na ma-nhã seguinte soubemos que o Eduardo estava saindo do CTI e indo pro quarto, pois tivera uma melhora incrível. Deus agiu poderosamente!”

Na terça-feira seguinte voltaram à reunião de oração, levando, inclusive o menino Edu-ardo e sua mãe Regina, para agradecerem a Deus pela bênção recebida e para darem o testemunho da cura efetuada por Deus. “Daquele dia em diante minha fé foi solidificada e comecei a participar da Igreja”. Logo o Pastor Paulo Vieira procurou Délio e Marilene: ‘Por que vocês não se batizam?’ Eu não me sentia ainda pronto para esse passo tão importante, mas aceitei participar dos encontros de preparo das pessoas que desejavam tornar-se membros da Igreja.”

Não demorou e Délio e Marilene sentiram-se tranqüilos, desejosos e preparados para serem batizados e assumirem os votos de membro da Igreja. Délio e Marilene batizaram-se e foram recebidos como membros da Igreja no mesmo dia: 24 de março de 1991.

Délio e Marilene têm 3 filhos: Rosane, Eliane e Marcos e e netos (Rafael, filho da Ro-sane, e Marcus Vinícius e Maria Clara, filhos do Marcos e da Eliane, mesmo nome da filha). A filha Eliane já acompanhava a mãe à Igreja e não demorou a passar por uma genuína experiência de conversão em agosto daquele 1991. O filho Marcos e sua esposa Eliane converteram-se na Igreja do Evangelho Quadrangular, em Juiz de Fora, MG, onde residem e na qual ainda hoje participam com o casal de filhos. A filha Rosane, tornou-se membro da Igreja Metodista Central de Niterói e depois que voltou a residir com os pais freqüenta a igreja de Vila Isabel esporadicamente. Embora não seja membro de Vila Isa-bel, é uma amiga da Igreja.

Délio hoje é militar da Aeronáutica aposentado. Serviu por 30 anos, aposentou-se em 1986 e trabalhou mais 11 anos na Infraero. Hoje é assíduo participante das reuniões de oração das 3ªs-feiras, do grupo de discipulado de adultos nas 5ªs-feiras à noite e dos cultos dominicais matutinos e vespertinos. Também é aluno assíduo da Escola Dominical. E nos últimos dois anos tem servido à Igreja Metodista de Vila Isabel como secretário da CLAM (Coordenação Local de Ação Missionária) e do Concílio Local. “Eu olho a minha história e vejo como a mão de Deus foi me conduzindo para essa igreja onde tenho muitos amigos, onde aprendo da Palavra de Deus, onde presto com alegria meu culto ao lado de tantos irmãos e irmãs queridos, e onde sou amado e abençoado. “Como preguei noutro dia aqui num culto de 3ª-feira ‘a mão de Deus está no controle de todas as coisas’. De coisas bem pequenas e simples, Deus faz coisas maravilhosas”.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.