IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Biografias – Gente da Vila
Rio, 5/11/2011
 

Teresinha Otero Nery

Teresinha Otero Nery é filha caçula de Manoel e Diná, nascida no bairro carioca do Rio Comprido. Tereza tem um irmão, Luiz Carlos, e uma irmã mais velhos.

Quando Teresinha tinha 8 meses de vida, a família mudou para a rua Santa Luzia, no Maracanã, de onde ela só mudou quando se casou com o Odilon, que conheceu quando tinha 16 anos. Isso aconteceu durante um jogo de futebol de salão na Associação Atlética Vila Isabel, onde foi com o pai e a irmã Dilma. Lá se encontrou com a amiga Lúcia, que foi quem a apresentou ao Odilon.

Teresinha e Odilon ficaram 2 meses conversando apenas pelo telefone. “Começamos a namorar no dia 11 de abril de 1966. Fez 45 anos nesse ano”, diz Teresinha.

O Odilon era da Igreja Metodista de Vila Isabel. Ainda não era arrolado como membro, mas frequentava a Igreja desde criança, trazido pelo saudoso casal Aracy e Walter Gonçalves, pais do Josias Gonçalves. “Durante os nossos 7 anos de namoro, o Odilon dizia que não se casava na Igreja Católica, só na Metodista. Como eu não tinha uma vivência religiosa, nem minha família, para nós isso não representou problema algum. Até porque eu, para acompanhar o Odilon que participava ativamente da igreja, comecei a acompanhá-lo na Igreja.”

“A passagem de ano novo era sempre em casa com a família. Nada de rua ou nada de clube. Surpreendentemente naquele 31 de dezembro de 1966 meu pai permitiu que eu participasse da Vigília de Ano Novo na Igreja Metodista de Vila Isabel, devidamente acompanhada pela minha irmã. Daí em diante, todo 31 de dezembro participávamos da Vigília em Vila Isabel.”

Casou-se aos 23 anos com o Odilon. O casamento foi celebrado pelo Pr. Acyr, da Igreja da Vila, e pelo Pr. Arcendino, ex-pastor de Vila Isabel que estava na Igreja de Copacabana. Foi quando vieram morar na rua Luiz Barbosa em Vila Isabel. Tiveram 3 filhos: Bruno, Bueno e Bianca. E os 3 foram batizados na Igreja Metodista de Vila Isabel. Participava dos cultos alegremente. Tomou a decisão de ser membro da Igreja durante o culto. “Fui tocada por Deus e senti que era a hora de me tornar membro. Embora eu tivesse sido batizada na Igreja Católica por meus pais quando criança e mesmo tendo feito a primeira comunhão, senti a necessidade de ser batizada novamente. Assim fui recebida como membro da Igreja por batismo e profissão de fé, após as aulas de preparo de membros ministradas pelo Pastor Antônio Faleiro. E desde então participo da Sociedade de Mulheres, a convite da Jane Gonçalves.”

“Trabalhei como professora de crianças e professora de artes com as crianças da Es-cola Dominical de 1985 a 1990, e num segundo momento de 1992 a 1995 e também em 1998. Embora eu não tenha trabalho fora, sou formada professora. Foi um jeito de participar com aquilo que era meu dom”.

Na Igreja logo fui acolhida, particularmente pelos jovens da Igreja e amigos do Odilon. “Desde 1969, quando os pais do Josias Gonçalves compraram a Fazenda do Retiro, em Chiador, ia um grupo de jovens passar os feriados lá. Faziam parte do grupo, entre outros, Ícaro, Sileda, Aírton, Eunice, Suely, Walkírio, Enoque, Ayli, Valmira, Roque, Aída, Joaquim, Vânia Deslandes, Josil, Heloísa, José (Zezé), Jane, Josias, Gérson e a esposa Sônia. Isso continuou depois de casados e depois dos filhos chegarem. Foi diminuindo após o falecimento da Aracy, da enfermidade e falecimento do Walter. “Era um casal excepcional, acolhedor, mãe e pai de todo mundo. Aracy e Walter fazem muita falta. Mas o grupo de jovens que já não são mais tão jovens, continuamos amigos”.

Além dos cultos, Teresinha participa das reuniões da Igreja no Lar às 2ªs-feiras e de um animado grupo de discipulado na casa da Alice Albuquerque às quartas-feiras. “No final de 2009 tomei uma decisão: em 2010 eu retornaria para a Escola Dominical, estudaria mais a Bíblia e me tornaria dizimista. E foi o que eu fiz. Isso tem revigorado a minha fé e a minha relação com Deus e com a minha igreja”.

O pai da Teresinha faleceu em 1977 e a mãe em 1996. O filho Bueno casou-se com a Suzana e deu à Teresinha e Odilon o primeiro neto, ou melhor, a neta Suélen. E a Bianca tornou-se membro da Igreja recentemente e está envolvida com os jovens e a Escola Dominical. “Deus tem sido muito bondoso comigo e minha família”.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.