IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Biografias – Pastores(as) Metodistas
Rio, 21/4/2007
 

Manoel Horário da Silva

Reverendo Manoel Horácio da Silva: um exemplo de pastorado

OLHO: “A igreja Metodista é uma igreja que pensa e deixa os outros pensarem”

Ele veio lá do interior de Minas Gerais, mais precisamente de Matias Barbosa. Aos 14 anos, veio morar com uma tia no Rio de Janeiro, e hoje, embora disfarce ao máximo para revelar a idade, tem orgulho de dizer que são mais de 50 anos de nomeação pastoral. Tempo suficiente para casar-se com Maria Antônia da Silva, ter 5 filhos e duas netas, e histórias e mais histórias para contar...

A infância, foi tranqüila. Pura modéstia... “Morávamos na beira da estrada e todos os dias tinha que caminhar 6 km para chegar ao colégio. Enfrentava às vezes chuva, frio e sol forte e nem sempre tinha o que calçar”, lembra. Mas aquela época ficou para trás e, em maio de 1945, veio morar na Cidade Maravilhosa. Influenciado por sua tia, dona Clemência Rodrigues, se converteu no final da sua adolescência. “Chamo minha tia de “santa”, pois era muito dedicada à Igreja. Seu ministério era trabalhar na cozinha e, que se diga de passagem, era uma excelente cozinheira. Durante a semana, ela me levava para a programação da igreja. Foi ela quem me levou para os caminhos de Deus”, lembra. Em 11 de novembro de 1947, Manoel Horácio fazia sua profissão de fé.

Daí, vieram os cargos e as responsabilidades. Seu primeiro trabalho que lembra com carinho foi a presidência da Sociedade de Jovens, em Coelho Neto. Foi nesta época também que foi redator do boletim “O Farol”, que escrevia com Paulo Lopes.

Em julho 1956 foi surpreendido com a sua escolha para ser delegado do Congresso Geral dos Jovens em Porto Alegre. O reverendo ainda se lembra quanto teve que gastar: 5 mil rés para a passagem de ida e volta, com direito a uma ida a Caxias de Sul. Além disso, lembra com muito gosto de um blusão de frio com a Cruz de Malta, que guarda até hoje.

O chamado veio com o tempo. Durante uma Escola Dominical, ministrada pelo professor Jurandir Azeredo Coutinho Freire, Manoel Horácio sentiu o desejo de seguir o pastorado. “Naquele dia, sete pessoas atenderam o apelo do professor, mas somente eu continuei os estudos e me tornei pastor. Horácio fez o antigo Seminário Asbury , que depois veio ser César da Corso Filho e, hoje, a Faculdade de Teologia do Bennett. Com o curso do seminário terminado, fez a uma complementação filosófica, na faculdade de Filosofia Dom Bosco, em São João Del Rei.

A partir daí, não parou mais. Apesar de ter lecionado pouco, trabalhou no Bennet, substituindo, inclusive o secretário geral da instituição. Em relação à igreja, sua primeira nomeação foi em 1956 como ajudante do Reverendo Alfredo Waldomiro Rubim, na Igreja de São João do Mereti. No ano seguinte, assumiu o pastorado da igreja de Ricardo de Albuquerque. Já entre 1959/60 foi pastor da igreja de Nova Iguaçu, Queimados e Paracambi; tudo isso morando em Coelho Neto. “Lembro que participei do culto da fundação da cidade de Paracambi (antiga Tairetá), impetrando a benção final neste culto” , recorda.

Um pouco saudosista, Reverendo Manoel Horácio lembra da Igreja de sua mocidade com muito carinho. “A igreja de hoje é completamente diferente daquela época. A Igreja Metodista de antigamente tinha cultos mais litúrgicos e atendia mais pelo aspecto da mensagem. Hoje, se preocupa mais com o louvor... O pastor lembra também que antes havia uma preocupação grande em relação aos pregadores, pois as igrejas treinavam jovens para pregar. “Atualmente, esta prática não é muito freqüente. Através deste treinamento, muitas vezes as pessoas iam para o seminário”, diz.

Em 9 de julho de 1965 completou bodas de ouro, ao mesmo tempo que completou 50 anos de nomeação pastoral. “Sou orgulhoso de ser metodista porque esta é uma igreja que pensa e deixa os outros pensarem”. Outro orgulho é ter ido conhecer o Museu Histórico Metodista em Londres, na Inglaterra e ter conhecido o quarto de John Wesley.

Em 1978 foi secretário regional de ação social, secretário regional de ecumenismo, além de presidir a última reunião de organização do CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, a pedido do bispo Oswaldo Dias da Silva (presidente do Colégio Episcopal da época).

Dentre tantas histórias, Manoel Horácio foi ainda assistente, por cerca de sete meses, do Bispo Almir dos Santos, quando adoeceu, tendo exercido por este tempo as funções episcopais. Sua caminhada na Igreja ainda continua, embora tenha se aposentado na Igreja de Guardênia Azul. Atualmente, é membro da Comissão Regional de Justiça, na qualidade de presidente, substituindo Ananias Lúcio da Silva, além de freqüentar a Igreja de Coelho Neto. Teve tempo ainda de se formar em Direito e fazer três pós-graduações na área.

Rápidas...
- Um versículo
Romanos 12:1 "Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional."

- Personagem Bíblico:
Paulo (disparado)!

- Uma mudança importante:
O acolhimento da mulher no ministério pastoral da Igreja

- A Igreja tem que ...
A igreja tem que atender as necessidades presentes sem esquecer o que foi construído no passado

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.