IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


MOrdomia Cristã
Rio, 18/11/2007
 

É preciso assumir o dinheiro (Anna Luísa Carvalho)

ZZ Outros Colaboradores ZZ


 

Dinheiro está mais ligado a problema do que a solução. Em geral, as sociedades têm um certo incômodo em lidar com ele, falar sobre o assunto e administrá-lo. Algumas atividades têm ainda mais dificuldade de encarar o tema, como as artes plásticas, pois teme-se colocá-lo num grau de importância maior que o da obra, já que isto seria uma ofensa à arte.

Quem trabalha ou apenas freqüenta uma igreja também sofre um pouco com isso. Não é raro alguém que não vive uma religião perguntar debochadamente se “você também dá 10% do que ganha para a igreja, como ela manda”. E geralmente essa pessoa quer ouvir apenas um “sim” ou “não”, pois não está nem um pouco interessada na resposta completa, com uma explicação. Normalmente, já tem uma idéia pré-definida e, provavelmente, incorreta sobre o assunto e não está preocupado em abrir a mente para uma justificativa verdadeira, pois teme a “lavagem cerebral”.

As causas para esta situação desastrosa são muitas: desde episódios ruins da história da igreja, como mau uso do dinheiro de seus membros, até a ganância desenfreada, desinibida e escancarada de algumas seitas de hoje, que prometem milagres divinos em troca de moedas. Realmente é difícil lidar com estes vizinhos, mas não se pode esmorecer. Dinheiro é essencial sim, para todo mundo, inclusive para quem gosta de ajudar os outros por amor, e também para a igreja.

Quando Jesus disse que as pessoas deveriam se desfazer de todos os seus bens para segui-lo, não quis dizer – trazendo para hoje – que era preciso morar em locais indignos, sem água, luz e esgoto, por exemplo. Na minha interpretação, ele quis dizer que enquanto houver gente passando fome, não pode haver gente desperdiçando e enquanto houver gente precisando de ajuda, não pode haver gente parada, sem trabalhar pelo próximo.

Então, para seguir Jesus, é preciso se desfazer dos desperdícios (mesmo os mais insignificantes) e da inércia e partir para a ação. Ninguém deve deixar o emprego de lado ou abrir mão do salário, pois isso não vai contribuir para diminuir a desigualdade que existe entre os homens até hoje. Se Deus lhe ofereceu um emprego e um salário, é para que você tenha tranqüilidade e segurança para trabalhar da obra Dele com mais afinco.

Se você tem a chance de cuidar bem da sua saúde, então mantenha-se saudável para explorar ao máximo sua capacidade em prol do próximo. Afinal, Deus distribui seus dons às pessoas de graça, sem exigir nada em troca, mas cada um precisa saber qual é o seu papel e executá-lo da melhor forma possível. Os que tiveram mais oportunidades, têm, portanto, responsabilidade maior na obra do Senhor.

É por isso também que o dízimo não é um valor determinado, mas uma porcentagem. O fato de que algumas denominações que se dizem evangélicas abusarem do dinheiro de pessoas comuns realmente mancha a imagem de todos os cristãos. Mas o compromisso com a obra de Deus é mais importante e o dinheiro que sustenta essa obra é tão fundamental quanto o que sustenta a casa de quem trabalha nela.

Assim como as pessoas devem procurar empregos com bons salários para poderem investir mais em si mesmas e, com isso, servir melhor, os trabalhos da igreja também precisam buscar verbas melhores para crescerem. Isto não significa que pouco dinheiro seja justificativa para um trabalho mal feito. Voltando à comparação, quem ganha pouco não deixa de fazer a sua parte por causa disto. Mas quanto mais oportunidade, melhor poderá e deverá ser o resultado.

Ter dinheiro não pode mais ser tabu. E principalmente contribuir financeiramente com a igreja não pode ser uma vergonha, mas um sinal de responsabilidade para com aquele trabalho. Errado é desperdiçar o dinheiro, porque ele é o fruto do trabalho de alguém. E todos que contribuem estão diretamente envolvidos no controle de como aquela verba será usada, seja vigiando ou dando sugestões para melhorar sua administração.
É preciso também ter claro na cabeça que o dinheiro não vai fisicamente ou diretamente para Deus, pois Ele não usa nossa moeda. A quantia vai para as pessoas, será gasta para comprar material comum, papelaria, limpeza, ferramentas, salários e até as despesas com uma página na internet, se for o caso. O importante é o uso que será feito desse material, que terá utilidade na transmissão das palavras de Deus, na sustentação de quem está trabalhando mais ativamente na obra Dele, etc. E as crianças só aprenderão o quanto contribuir para a obra de Deus, tanto com o esforço físico quanto financeiramente, é importante, se tiverem um bom exemplo em casa.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.