IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Igreja
Rio, 15/3/2008
 

Relatório do Bispo Lockmann ao XXXVIII Concílio Regional da I Região Eclesiástica

Bispo Paulo Lockmann


 

RELATÓRIO DO
BISPO PAULO LOCKMANN
AO XXXVIII
CONCÍLIO REGIONAL DA
1ª REGIÃO ECLESIÁSTICA
DA IGREJA METODISTA

Irmãos e Irmãs conciliares,
Em dias em que pela graça de Deus queremos, todos, fazer discípulos e discípulas, cumpro meu dever de relatar a este Concílio Regional, conforme prescrevem os Cânones da Igreja Metodista, as atividades pastorais a mim confiadas pela Igreja, e os Atos de Governo realizados enquanto Presidente do Concílio Regional. Faço isto com o coração agradecido a Deus, à Igreja Metodista, a minha família, e a toda liderança regional que, da Sede Regional aos Distritos, tem nos apoiado e trabalhado para alcançar um sonho vindo, creio convictamente do coração de Deus. Qual seja ganhar um milhão de vidas no Estado Rio de Janeiro até 2014, fazendo delas discípulos e discípulas de Jesus Cristo. A Deus seja a glória, o louvor e a honra por tudo que conseguimos realizar.

I) Nosso ambiente histórico
Decidi não nos estendermos muito neste relatório; por isso apenas apontaremos aspectos da realidade que nos cerca.

Mudanças profundas estão acontecendo em todas as áreas da vida humana. Da família a organização do Estado, nas empresas de toda ordem. E todas elas afetam nossas igrejas em maior ou menor escala. Não temos como escapar dessa dinâmica. A velocidade dessas mudanças nos atropela; despreparados, ficamos na defensiva, correndo o risco de sermos atropelados pelos fatos. Não é isso que queremos. Paulo recomendou: transformar-nos pela renovação da nossa mente, para experimentarmos a boa e agradável vontade de Deus. É nosso dever como Igreja, em meio à revolução tecnológica, e todas as mudanças que estão ocorrendo, examinar tudo e reter o que é bom, para a expansão do Reino de Deus.

Sublinho básicos aspectos destas mudanças:
1) Empresas internacionais com ganhos maiores que o produto interno bruto de muitos países transferem com rapidez seu capital, seus produtos e sua cultura ao redor do globo. Sem se importar se estão deixando para trás desemprego e desolação e miséria. O capital governa não os interesses do povo.

2) A revolução da tecnologia da informação e da comunicação, em especial a internet, trouxe com a transferência praticamente instantânea de imagens, conceitos e idéias, fazendo de nosso mundo uma pequena aldeia.

3) Como o capital governa, a tendência é a concentração da riqueza nas mãos de poucos países, e o aumento da miséria e marginalização de muitos. As regiões mais pobres estão sendo deixadas para trás, aumentando a fome, enfermidades e a violência; isso é muito real em vários países da África e mesmo de nossa América Latina.

4) O Brasil entrou neste processo atrasado, e sem grandes investimentos em pesquisa, estamos comprando tecnologia, recursos financeiros, e pagando caro por isso. Nossas lideranças políticas não nos fazem otimistas, a corrupção e o fisiologismo político danificam nossa democracia. Vemos no Brasil e no mundo contemporâneo a falência das ideologias; o que vale é produtividade e sucesso, não importa a moral e a ética, mas, sim o lucro, a vantagem; milhares estão morrendo por causa disso.

5) Vivemos em guerra; a violência tem sido a opção de muitos da família, das grandes nações; não se experimenta o diálogo e o amor. Todos somos vítimas da marginalização econômica, vivemos ilhados com grades nas janelas e portas, mas ainda, sim, o sangue de inocentes corre no complexo do alemão, às ruas de Bagdá. Estamos nos acostumando a isso, o que é trágico.

6) A terra geme, o aquecimento global, o risco do desaparecimento de várias espécies de animais e plantas, o meio ambiente, enfim, estão morrendo, e nós com ele. O sistema do agro-negócio está destruindo a terra e o meio ambiente, mas, como dissemos, é o capital que governa. Uma séria reforma agrária poderia ser instrumento para um desenvolvimento sustentável e ecologicamente correto. Somos mordomos da criação, temos que assumir um papel mais audacioso nesta área.

7) A religião sempre ocupou um lugar central na vida humana; note-se que a praça, desde a idade média, passando pelo Brasil colonial, era composta da igreja, do outro lado, o palácio do príncipe ou nobre qualquer (senhor feudal), no Brasil colonial, da representação do governo, prefeitura e câmara, mais tarde. O cidadão tinha clara esta divisão, vida cotidiana temporal e vida espiritual, o transcendente e o futuro escatológico. No meio da praça, a feira, onde se comprava e se vendia o necessário à vida cotidiana. Hoje, tudo se confundiu. O religioso ocupa como cúmplice não como profeta o palácio, e ambos se corrompem para obter lucro no mercado, na feira. O governante não garante mais o bem-estar do povo, o comerciante sofre ameaça e opressão e se rende ao suborno, e o religioso deixou a escatologia de lado, a salvação das almas, pela sua prosperidade econômica. Com honrosas exceções.

Bem, este é um quadro breve, e por isso tem lacunas, mas ainda assim nos defronta com vários elementos do cotidiano da Igreja; é neste meio que ela precisa ser sal da terra e luz do mundo.

II) Quem somos nós?
Para avaliarmos melhor nossa atuação regional, deixem-me mostrar-lhes os vários segmentos regionais, com os quais, como Bispo atuo, de Federações, passando pelos Ministérios, Pastorais e Instituições.

• Ação Social – Secretária Executiva Suenir Rocha Furtado
- Ministério de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas – Jônatas de Carvalho
- Pastoral de Combate ao Racismo – Maria da Fé da Silva Viana
- Pastoral Carcerária – Pr. Edvandro Machado Cavalcante
- Pastoral da Juventude em Conflito com a Lei – Pra. Maria do Carlos Moreira Lima
- Pastoral da Favela – Pr. Paulo César de Macedo Lima
- Pastoral da Terceira Idade – Pra. Ruth Silva
- Projeto Reforço Escolar – Pra. Rosinete Siqueira
- Projeto Sombra e Água Fresca – Pra. Rosinente Siqueira
- Projeto Saúde Integral – Suely Tranni

• Educação Cristã – Secretária Executiva Deise Luce Marques
- Departamento de Escola Dominical – Lorely Del Valle de Souza
- Departamento de Trabalho com Crianças – Rogéria de Souza Valente
- Ministério de Ensino e Capacitação – Deise Luce Marques
- Federações de Mulheres – Sônia Batista Teixeira, Evane Ramos, Eunice Marçal, Alvanir Faleiro, Sônia do Nascimento Palmeira
- Federações de Homens – Celso Teixeira, Pedro Luis, Edílson Oliveira, Jair da Silva e Glésio Faria
- Federações de Jovens – Queli Vieira, Edvandro Damasceno, Leandro Souza, Carla Costa, Lucélia Pinheiro
Federações de Juvenis – Ivy Oliveira, Anaily Gomes, Lidiane Vieira, Marina Santos, Samara Silveira

• Expansão Missionária – Secretário Executivo Dr. Wilson Barbosa Bonfim Filho
- Ministério Voluntários em Missão – Pra. Selma Antunes da Costa, Pra. Dilcéa Cunha Dias, Pra. Ângela Cristina da Silva Nascimento e Pr. Nelson Eduardo Santos Lucas
- Ministério de Evangelização e Missões – Pr. Ronan Boechat Amorim
- Ministério da Família – A suprir
- Ministério de Intercessão – Pra. Ruth Kato
- Ministério de Avivamento – Pr. Gilmar Hermenegildo da Silva e Pr. Carlos Alberto Rodrigues
- Ministério de Discipulado – Pr. Paulo Fernando Barros da Silva

• Ação Administrativa – Secretário Executivo Júlio César Fernandes
- Ministérios de Apoio Administrativo – Elio Goulart

• Instituições:
- Instituto Metodista de Ação Social – IMAS – Direção Geral – Pr. João Bértalo Alves
- Instituto Metodista Ana Gonzaga – IMAG e LAMAG – Presidente do Conselho Diretor - Áureo Lídio Moreira Ribeiro e Direção Geral – Ronaldo Rodrigues Pereira
- Instituto Metodista Carlota Pereira Louro – IMCPL – Presidente do Conselho Diretor – Pr. Nelson Santos de Souza e Direção Geral – Marcos Silva Mesquita
- Instituto Metodista de Formação Missionária – IMFORM – Presidente do Conselho Diretor – Pr. Paulo Rangel dos Santos Gonçalves e Direção Geral – Pr. Regison Marcos Coutinho Santos

• Coordenação Regional de Ação Missionária – COREAM
Adriana Márcia Tardeli, Deise Luce Marques, Pra. Joana D´Arc Meireles, Pr. Marcello José Pimenta Fraga, Norma Moraes Depes Vieira, Pr. Paulo Fernando Barros da Silva, Rosemari Pfaffenzeller, Selma Antunes da Costa e Sônia do Nascimento Palmeira

• Comissão Ministerial Regional
Pra. Fátima da Cruz Valente, Pra. Geisa Nunes de Oliveira, Pra. Giselma de Souza Almeida Matos, Pra. Ruth Maria Kato e Pr. Rubem Andrade Mandú da Silva

• Comissão Regional de Relações Ministeriais
Pra. Ana Jarvis Fernandes da Costa Carvalho, Pra. Aparecida Maria de Almeida Madeira, Pr. Ari Guedes Cunha, Pra. Maria do Carmo Moreira Lima e Pr. Nelson Magalhães Furtado

• Comissão Regional de Justiça
Altair Paz Costa, Pr. Ananias Lúcio da Silva, Pr. Antonio Faleiro Sobrinho, Pr. Manoel Horácio da Silva e Pr. Rogério da Silva Oliveira

Vejam meus irmãos e irmãs, cada um destes segmentos realiza um importante trabalho, apoiando diversas igrejas locais em iniciativas missionárias, da Pastoral da 3ª Idade, liderada pela Pra. Ruth Silva, ao Ministério de Intercessão, liderada pela Pra. Ruth Kato. A todos, como Bispo, procurei, através dos Secretários de Área e dos Assessores Pastorais, acompanhar e motivar. É impossível descrever tudo que Deus fez através destes ministérios e pastorais. Todos eles cooperaram para o nosso crescimento como Igreja do Senhor.


III) Quem somos nós e para onde vamos?

1) A Igreja é de Deus
1.1. Um só Senhor! Uma só Igreja!
Quando nos reunimos em Concílio Regional, chega a nós a pergunta: De quem é a Igreja? Sim, num tempo em que quase tudo é decidido em termos de valor monetário e posse, esta pergunta surge diante de perguntas como: De quem é esta Igreja? De quem é este ministério? Sim, as Igrejas têm dono, como os ministérios também. Dizemos: Eu estou na Igreja do pastor fulano. Eu participo do ministério do apóstolo beltrano. Gostaria de reafirmar que, entre nós, metodistas, não é assim. A Igreja Metodista no Rio de Janeiro não é do Bispo Paulo Lockmann, graças a Deus!

Por razões bíblico-doutrinárias, nossa afirmação segue o ensino de Jesus: “Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mt 16.17-18). Assim, Jesus deixou claro: a Igreja é dEle. Nosso ritual de recepção de membros diz: “A Igreja é de Deus”. Assim, devemos superar a contradição dos tempos modernos, que equiparam a Igreja às instituições humanas e nada santas, em favor de uma dimensão bíblica e espiritual.

A conseqüência é que, se a Igreja é de Deus, Ele, na pessoa de seu Filho Jesus, é o Senhor da Igreja . E isso é uma confissão de fé. O apóstolo Paulo diz da seguinte maneira: “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.” (1Co 3.11).

O primeiro credo que o Cristianismo conheceu se limita precisamente a esta frase: Jesus Cristo é o Senhor. Este credo surgiu como um desafio dirigido tanto ao mundo judeu como ao romano. A expressão Senhor estava reservada, no Antigo Testamento, para substituir o nome de Deus, que nenhum judeu piedoso podia pronunciar diretamente. Até o dia de hoje, quando um leitor judeu lê o Antigo Testamento e encontra a palavra Javé, dirá Adonai, cuja tradução mais aproximada em nossa língua corresponderia à expressão o nome do Senhor, ou o Senhor. Assim, quando Paulo nos diz que Deus deu a Jesus Cristo um “nome que está acima de todo o nome” (Fp 2.9), e proclama como Aquele a quem todos devem submeter-se e confessar que Ele é o Senhor, está dizendo, com outras palavras, de que, o Deus que nos fala o Antigo Testamento, através de Moisés, Josué e dos Profetas, é o mesmo Deus cuja luz resplandeceu no rosto de Jesus Cristo.
Frente ao mundo romano, a confissão de fé “Jesus Cristo é o Senhor” tinha o sentido afirmativo de uma última lealdade, não só no plano religioso, mas também em todos os planos da vida, inclusive o político. É o Apóstolo dos gentios quem nos diz que “... ninguém que fala pelo Espírito de Deus afirma: Anátema Jesus! Por outro lado, ninguém pode dizer: Senhor Jesus! senão pelo Espírito Santo.” (1Co 12.3). Para poder pronunciar com convicção o credo sobre o Senhorio de Jesus Cristo, era necessária a assistência do Espírito Santo, porque não se tratava de uma mera afirmação verbal ou de índole intelectual, mas de uma confissão na qual estava em jogo a vida dos cristãos.

1.2. Um só Corpo e uma Conciliaridade Missionária.
Do mesmo modo que a Igreja tem um só fundamento e Senhor: Jesus Cristo, a Igreja constitui um só corpo, do qual Ele é o cabeça: “E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à Igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.” (Ef 1.22s).

Com isso concorda nosso Plano para a Vida e a Missão da Igreja , quando afirma: “k) O Metodismo afirma que a Igreja, antes de ser organização, instituição ou grupo social, é um corpo, um organismo vivo, uma comunidade de Cristo (cf. Ef 1.22s; 1Co 12.27). Sua vivência deve ser expressa como uma comunidade de fé, adoração, crescimento, testemunho, amor, apoio e serviço (cf. At 2.42-47; Rm 12.9-21). Nessa comunidade, metodistas são despertados, alimentados, crescem, compartilham, vivem juntos, expressam sua vivência e fé, edificam o Corpo de Cristo, são equipados para o serviço e o expressam junto das pessoas e das comunidades (cf. 1Co 12.16-26; 2Co 9.12-14; Ef 4.11-16). h) O Metodismo afirma que o sistema conexional é característica fundamental e básica para a sua existência, tanto como movimento espiritual, quanto como instituição eclesiástica. (cf. Ef 1.22s). Deus lhe deu essa forma de articulação unificadora, para cumprir a vocação histórica de não existir como uma seita, mas “...reformar a nação, particularmente a Igreja, e espalhar a santidade bíblica sobre toda a terra” (Wesley) (cf. At 17.4-6; Jo 17.17-19).

Por tudo isso, diante do testemunho bíblico de Atos 6.1-7, quando a Igreja, pressionada pela situação missionária, precisava dar solução a uma contingência interna, liberou os apóstolos e pastores para a oração e pregação da Palavra, elegendo os diáconos, isso no que reconhecemos ter sido o primeiro Concílio da Igreja Primitiva, o qual, de imediato, gerou um resultado missionário, conforme o verso 7 de Atos 6, que diz: “Crescia a palavra de Deus e, em Jerusalém, se multiplicava o número dos discípulos, também muitíssimos sacerdotes obedeciam à fé (cf. At 6.7). Se levarmos a sério o Testemunhar a Graça e Fazer Discípulos, que é nosso lema para 2008/2009. Teremos que repensar nossas ações e suprimir o que não concorre para o cumprimento dessa ordem de Jesus (cf. Mt 18.20). E com isto corrigir urgentemente nossas reuniões conciliares, pois elas precisam resultar em edificação dos(as) discípulos(as), e conversão dos nossos vizinhos, amigos e do povo em geral, pois esta é a nossa missão. FAZER DISCÍPULOS E DISCÍPULAS de nosso Senhor Jesus Cristo.

Esse modo de ser Igreja Metodista supõe homens e mulheres com o que João Wesley chamou de o caráter de um metodista: “Ama a Deus de todo o coração, alma, entendimento e forças. Em tudo dá graças. Eleva o coração a Deus em todo o tempo. Ama cada homem como a sua própria alma. Puro de coração. Deus reina supremo, guarda todos os mandamentos; faz tudo para a glória de Deus; adorna a doutrina de Deus em todas as coisas.” (WESLEY, João. Explicação Clara da Perfeição Cristã. São Bernardo do Campo, Imprensa Metodista, 1984).

IV) Das áreas de ação da Igreja Metodista
Nossa vida missionária, através dos diversos ministérios, nos coloca em cinco diferentes áreas de ação: Pastoral: Bispo e Superintendentes Distritais; Social: Suenir Rocha Furtado; Administrativa: Júlio César Fernandes; Educação Cristã: Deise Luce de Souza Marques e Expansão Missionária: Wilson Barbosa Bonfim Filho.

Nosso relatório terá um resumo sintético de cada Secretário de Área, pois apresentaremos um DVD ilustrativo da atuação das áreas. A única exceção é o da Ação Pastoral, cujo executivo sou eu como Bispo. Nesta área preciso informar sobre a vida pastoral e a vida missionária dos distritos e igrejas locais.

1) Da Ação Pastoral

1.1) Ser pastor(a) é um privilégio
Como é de costume, preciso começar com uma reflexão sobre esta nobre tarefa; nosso verso inspirador é: “... e quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra ...” (At 6.4). Esta decisão de Pedro e dos apóstolos, que antecedeu a eleição dos diáconos, deu qual o tom prioritário do ministério pastoral: manter constante intimidade com Deus em uma vida de oração incessante e profunda, conduzir o rebanho de Deus pelos caminhos da palavra fazendo deles discípulos e discípulas de Cristo.

Assim, nesta breve reflexão, preciso deixar claro o que é o ministério pastoral. Qual a sua tarefa? Atenção! Não estou falando das atribuições canônicas, ainda que importantes. Quero falar das expectativas de Deus expressas em Sua Palavra.

Temos falado insistentemente em líderes, em formar líderes espirituais; nossos paradigmas caminham até a comparar pastores e pastoras como gerentes. Denuncio isso como um risco muito grande, pois trata-se de uma possível rendição da Igreja ao mercado, ao neoliberalismo econômico, onde as instituições estão a serviço do mercado. Deixem-me dizer com clareza: Este não é um modelo para a vocação pastoral!

Nós queremos homens e mulheres chamados por Deus, dispostos a dar a sua vida pela missão. Não rejeitamos a competência, o senso organizacional, a capacidade de liderança. Mas queremos privilegiar o carisma pastoral, do servo(a) de Deus, que está disposto(a) a dar a sua vida pelo rebanho. Nosso modelo é JESUS e seu ministério junto ao povo, e não Bill Gates ou outros empreendedores bem sucedidos.

Somos pastores(as) junto ao rebanho. O grande motivo pelo qual atendemos o chamado de Deus não é o de ter um emprego, mas o de ter uma missão espiritual, de ser pastores e pastoras junto ao rebanho de Deus, a Igreja do Senhor.

O primeiro aspecto que sublinho é quando Paulo diz aos presbíteros de Éfeso: “Olhemos por todo o rebanho”. Ser pastor(a), então, não é se colocar num pedestal, frente ao púlpito, debaixo de focos de luz, como um astro que se apresenta perante uma platéia, a qual o aplaude, e algumas vezes o idolatra, e, ao mesmo tempo, nos bastidores, viver para atender seus interesses, e até seus desejos carnais. Este modelo de pastor(a) show man/woman, não é o nosso, porque não é bíblico.

Nossa posição no púlpito, junto ao altar, nos dá uma posição de influência poderosa sobre a vida das pessoas de nosso rebanho, o que é de uma grande responsabilidade! Em geral, elas nos vêem falando em nome de Deus.

João Wesley se refere a este olhar pelo rebanho, dizendo o seguinte: “Os ministros devem ir na frente (como é o costume dos pastores orientais até hoje) e guiá-lo em todos os caminhos da verdade e da santidade; precisam alimentá-lo com as palavras de vida eterna”; nutri-lo com o “puro leite da palavra”; aplicando-o continuamente à doutrina; ensinando-lhe todas as doutrinas essenciais contidas na palavra; “para chamá-lo à ordem”, admoestando-o se se desvia do caminho para a direita ou para a esquerda; “para corrigi-lo”, mostrando-lhe como endireitar o que está errado e trazê-lo de volta ao caminho da paz; para “instruí-lo na justiça”, treinando-o na santidade, “até que venha a ser perfeito, até que alcance a medida da estatura da plenitude de Cristo”.

Eles têm de “velar pelas vossas almas como aqueles que hão de dar conta das mesmas”. “Como aqueles que hão de dar conta!” Quão indizivelmente solenes e terríveis são essas palavras! Possa Deus escrevê-las no coração de todos os guias de almas!” (Sermões: Sobre a obediência aos pastores”, I, 4-5 (J, VII, 110).

A segunda questão é que esta obra de cuidado do rebanho foi dada a nós, pastores e pastoras. Isso nos obriga a descer do púlpito, e a nos misturar com o rebanho. Vivemos um tempo de ênfase no discipulado; e discipulado é estilo de vida, é convivência com o rebanho, precisamos nos expor ao rebanho, o povo de Deus precisa saber e ver como é nossa vida como cidadãos, como esposo, como pai. Não temos como fugir: o(a) pastor(a) é uma figura pública. As verdades eternas que pregamos, precisamos demonstrar como vivê-las no dia-a-dia. É inócuo o velho jargão: “Não olhem para mim, olhem para Jesus”. Não adianta, eles vão continuar olhando para você.

Quem não aceita essa exposição pública não pode ser pastor(a). Precisamos ser modelos para o rebanho, e isso não acontece no privado, mas no público, na exposição do cotidiano.

A terceira questão é a de saber que esta vocação é acompanhada de uma honra. Sim, que imensa honra é ser embaixador de Cristo. Sermos instrumentos para a conversão e a salvação de vidas! Portanto, não confundamos esta honra com orgulho e auto-promoção, querendo aparecer no lugar do Senhor. Nosso anseio deve ser por estar onde necessitam de um ministro de Cristo, onde há uma alma atribulada, uma família enlutada, uma vida sem Deus. Há tantas vidas perdidas, oprimidas, escravizadas, enfermas, carentes de toda ordem, esperando por uma palavra vinda de um embaixador(a) de Cristo, que é você, que somos nós. Mãos à obra, meus irmãos e irmãs, é nobre a tarefa que Deus colocou nas nossas mãos.

Um quarto aspecto que eu quero sublinhar nesta breve reflexão é que, do mesmo modo como ser pastor(a) é se envolver no meio do rebanho, ser pastor(a) é estar permanentemente e definitivamente envolvido com Deus, orando em todo o tempo. Nossa alma apegada a Deus, transpirando no poder do Espírito Santo. Ele, e somente Ele, nos faz pastores e pastoras; portanto nos rendamos a Ele. Gosto do testemunho que li numa revista: Havia um certo bispo idoso na Igreja Metodista no início do século XX. Era um ex-ferroviário, sem formação acadêmica. Enquanto pastoreava no estado do Texas (EUA), durante muito tempo não se passava um domingo sequer sem que alguém se convertesse. Alguém lhe perguntou qual era o seu segredo. Ele respondeu: “Tenho sessenta homens que se reúnem antes do culto de domingo. Oram até aquecerem os seus corações. Depois se espalham no auditório. Eles têm um princípio de ninguém se sentar perto de outro integrante do grupo no culto. Assim todos estarão sentados perto de outras pessoas. Qualquer pecador ou cristão frio que ficar perto de um deles acaba se descongelando e derretendo, de tal forma que antes do final do culto já foi alcançado.”
Vejam que não é difícil recrutar discípulos(as) que sejam intercessores(as), ministrar sobre eles(as) e capacitá-los(as).

Concluo, repartindo que estou feliz com o ministério pastoral. Nesta última avaliação das igrejas e pastores(as), a aprovação foi maior do que 90%; há alguns distritos, conforme relatado pelos Superintendentes Distritais, cuja avaliação foi de 100% de aprovação. Embora eu saiba que há poucos casos em que as expectativas das igrejas são muito baixas, identifico isto pela estagnação e mesmo decréscimo, mas ainda assim o(a) pastor(a) foi bem avaliado(a). Reafirmo que são poucos os casos nesta situação; e informo que estamos desafiando as igrejas e os pastores(as) a mudarem este quadro.

1.2) Nossas Igrejas e Campos Missionários
Neste momento somos 321 igrejas, incluídos os campos missionários. Crescemos no biênio 2006-2007, isto como projeção, pois ainda não temos os números de 2007. Considerando o crescimento que tivemos em 2006, estaremos com 10,3%, o que está abaixo dos alvos estabelecidos. Se projetarmos o índice anual, a diferença aumenta. Isto é muito pouco para quem espera alcançar um milhão de discípulos e discípulas até 2014. Há um compromisso e uma estratégia com vistas a alcançar nossa meta até 2014. Isto é, pelo menos 400 pastores ou pastoras assumirem a proposta de, além de suas tarefas pastorais, priorizarem o discipular duas pessoas em 2008, dando duas horas semanais a elas, ensinando-as a fazerem discípulos(as) também, de modo que no ano de 2009 estas duas façam o mesmo com outros dois novos discípulos. Tal estratégia pode gerar uma multiplicação de:

2008 – 400 pastores/as + 800 discípulos = 12/2008 = 1.200 discípulos/as
2009 – 1.200 + 2.400 discípulos = 12/2009 = 3.600 discípulos/as
2010 – 3.600 + 7.200 discípulos = 12/2010 = 10.800 discípulos/as
2011 – 10.800 + 21.600 discípulos = 12/2011 = 32.400 discípulos/as
2012 – 32.400 + 64.800 discípulos = 12/2012 = 97.200 discípulos/as
2013 – 97.200 + 194.400 discípulos = 12/2013 = 291.600 discípulos/as
2014 – 291.600 + 583.200 discípulos = 12/2014 = 874.800 discípulos/as

Ademais disso, temos em pleno funcionamento grupos pequenos de discipulado, que, como sabemos, gera maturidade cristã, através do estudo da Palavra, da oração e do testemunho. Consideremos que temos em nossa Região 53 Campos Missionários, todos em franca expansão. Alguns deles se tornarão igrejas autônomas neste Concílio.
Nossa visão de alcançarmos 1.000.000 de discípulos(as) baseia-se na carência do conhecimento de Deus, que vemos na grande maioria da população de nosso estado. Calculamos, baseados em dados do IBGE, que cerca de 10.000.000 de pessoas no estado do Rio de Janeiro não tem uma identidade religiosa definida, são estes o alvo de nossa visão e missão, e não pode ser uma iniciativa humana, mas a visão é de fato uma resposta a ordenança de Jesus à Igreja: “IDE E FAZEI DISCÍPULOS DE TODAS AS NAÇÕES” (Mt 28.18-20).

1.3) Nossa supervisão pastoral e discipulado com pastores(as) na 1ª Região Eclesiástica
Para auxiliar-me no exercício da supervisão pastoral na 1ª Região Eclesiástica nomeei 23 Superintendentes, sendo que em 2007 o Pr. Regison Marcos Coutinho Santos acumulou a superintendência de dois distritos: Duque de Caxias e Teresópolis. Os demais Superintendentes Distritais são: Ananias Lúcio da Silva, Ari Guedes Cunha, Azoil Zerbinato, Carlos Roberto de Oliveira Queiroz, Carmen de Souza, Elias Barbosa, Elson Amaral Brum, Fátima da Cruz Valente, Francisco Dantas de Almeida, Gilmar Hermenegildo da Silva, João Satiro, José Magalhães Furtado, Lúcio Sant´Anna Ferreira, Marcello José Pimenta Fraga, Nelson Magalhães Furtado, Nelson Santos de Souza, Paulo Fernando Barros da Silva, Paulo Vieira, Rodrigo Vieira Buçard, Rogério da Silva Oliveira e Rubem Andrade Mandú da Silva, além do Assessor Episcopal Filipe Pereira de Mesquita. Sou grato a cada um deles(as) pelo ministério realizado junto a seus distritos, quase sempre acumulando o cuidado pastoral de sua própria igreja. Reconheço que foi com sacrifício que o trabalho foi realizado. Neste biênio decidimos nos reunir a cada dois meses, na forma de retiro. Algumas vezes por força de nosso trabalho tivemos reunião extraordinária. Assim durante o biênio reunimo-nos em retiro por 11 vezes, realizamos 3 reuniões extraordinárias, uma no ministerial, em novembro de 2006, uma durante o ministerial de 2007, e nos dias 12 e 13 de novembro último para concluir o quadro de nomeações pastorais. Em todas elas nossa prioridade foi a oração, comunhão e estudo da palavra do Senhor. As reflexões bíblicas, preparadas pelo Bispo, foram estudadas e discutidas, e foram entregues cópias para que os Superintendentes Distritais estudassem com os pastores e pastoras nos distritos, e a intenção é que estes estudassem com sua Coordenação Local de Ação Missionária – CLAM e/ou com sua igreja, dentro de um processo pastoral de discipulado. Na ênfase do discipulado mantive em minha residência um grupo de discipulado com pastores e suas esposas. A cada semestre substituímos os casais, sendo que no biênio recebemos 15 casais em três semestres.

Além do acompanhamento pastoral junto aos Superintendentes Distritais, realizamos em conjunto com o Ministério de Discipulado retiros com pastores(as), tendo realizado 5 retiros em 2006, sempre com uma média de 45 pastores(as), e em 2007 realizamos 3 retiros com pastores(as), sendo o último com 87 pastores(as). Junto a isto realizamos 2 ministeriais no biênio, o primeiro em novembro 2006, tendo como preletores o próprio Bispo, o Pr. Moisés Cavalheiro de Morais e o Pr. Jayme Kemp, e como ministro de louvor o Pr. Asaph Borba. Nossa ênfase foi o Testemunho da Alegria e a Esperança do Serviço, tema do biênio. Em agosto de 2007 o tema foi O Discipulado: Rumo a 1.000.000 de Discípulos(as). Nossos preletores foram Dr. Eddie Fox, Diretor Mundial de Evangelismo do Concílio Mundial Metodista, que ministrou sobre o Compartilhar a Fé; e o Bispo João Carlos Lopes, que trabalhou o tema Ministério Pastoral e Discipulado. Em ambos os eventos tivemos a presença de cerca de 450 a 480 pastores(as) e esposas, sendo que a média de esposas foi de 60 nos dois encontros.

Neste biênio realizamos um Encontro da Ordem Presbiteral e Ministério Pastoral no mês de abril de 2007, na Escola de Missões, com a presença da maioria dos(as) pastores(as). Nele discutimos o Discipulado e a Ética Pastoral. Foram momentos de reflexão e crescimento.

Mantive meu programa de visitação às Igrejas. Durante o biênio visitei 126 igrejas locais nos finais de semana, mas também em programas especiais no meio da semana. Junto a isto preguei em 5 Concentrações Distritais no biênio, algumas como a de Nova Iguaçu durante a Semana Wesleyana de 2007, com cerca de 1.500 irmãos e irmãs. Preguei em uma vigília da Federação de Juvenis, no Momento de Deus para Missões, evento da Federação de Jovens, nos Congressos das Federações Metodista de Mulheres e de Homens. Ao todo preguei e dei estudo bíblico na 1ª Região Eclesiástica por 182 vezes, não contando as pregações no Brasil e no exterior.

Realizamos, ainda, com as Secretárias de Áreas de Ação Regional 6 Seminários Integrados no biênio, reunindo sempre dois ou mais distritos, estão de parabéns os 4 distritos, pois no sábado 14 de abril reunimos mais de 1.200 irmãos(ãs) em nosso seminário na Igreja em Retiro – Volta Redonda. Nestes seminários oferecemos treinamento nas diferentes áreas da missão. Destaco aqui o trabalho dos Secretários(as): Deise Luce de Souza Marques, Júlio César Fernandes, Suenir Rocha Furtado e Wilson Barbosa Bonfim Filho, e especialmente a Secretaria de Coordenação Ministerial que em 2006 foi exercida pelo Pr. Paulo César Welte e em 2007 pelo Pr. Paulo Fernando Barros da Silva.

No exercício da supervisão pastoral da 1ª Região Eclesiástica participei e, também, dirigi 118 reuniões, algumas de Comissões Regionais, outras de grupos de trabalho e/ou ministérios e pastorais, e também com os Secretários(as) Regionais. Não há outro meio para inteirar-se da vida ministerial da Igreja Metodista na 1ª Região Eclesiástica. Temos buscado para que estas reuniões sejam objetivas e produtivas.

Preciso ainda sublinhar o trabalho do Ministério de Discipulado, com o qual nos reunimos 6 vezes no biênio, sendo uma delas em um retiro de dois dias no ano de 2006. Sob a coordenação do Pr. Paulo Fernando Barros da Silva o ministério assessorou o Bispo no retiro de pastores(as), trabalhando ainda em apoio junto aos distritos e igrejas locais na intensificação do discipulado na região. Na área de publicações o ministério publicou os seguintes materiais no biênio: Talões para o Ministério de Consolidação (para o trabalho de cadastramento de novos convertidos); Manual do discipulador (para capacitação de liderança – no evangelismo e consolidação); Manual do discípulo com plano de salvação (para presentear aos novos convertidos); Cartilha “Conheça nosso jeito de ser Cristão e de servir a Cristo” (apresentação da Igreja Metodista na 1ª Região Eclesiástica).
Concluo esta parte dizendo que até aqui nos ajudou o Senhor.

2) Da Ação Social
Conduzida de maneira segura pela irmã Suenir Rocha Furtado, psicóloga, tendo como ênfase a criança, através do reforço escolar. A área de ação social teve como responder através dos diversos ministérios uma infinidade de desafios como veremos no resumo do relatório passado ao Bispo pela irmã Suenir.

Encontros Regionais de Ação Social - 2006 e 2007 - Neste biênio abordamos o tema “O envolvimento da Igreja local nos conselhos” e “Ação e Oração no Combate a violência”, trouxemos para uma reflexão e ação de envolver as Igrejas da 1ª Região nas atividades do município, para serem parceiros nos projetos sociais e para que o membro da Igreja não precise sofrer isolado, sabendo que Deus providenciou recursos de Justiça para que seus servos possam recorrer.

Trouxemos para o debate pessoas de nossas Igrejas e Região, que são conselheiros no Município e Estado. E esteve presente palestrando sobre violência doméstica contra a criança, o adolescente e a mulher a presidente do Conselho de Movimento de Mulheres vítimas de Violência do Município de São Gonçalo, Sra. Marisa Chaves.

Nestes 2 encontros compareceram cerca de 350 participantes que foram capacitados em oficinas de como fazer um projeto, várias oficinas de artesanatos com vista a gerar rendas, capacitação para trabalhar nos projetos; Reforço Escolar e Sombra e Água Fresca, trabalhar em presídios e como trabalhar com a terceira Idade. As pastorais: Combate ao Racismo, Conflito com a Lei e Favela estiveram juntas orientando comunidades a desenvolverem a detectar situações de conflitos.

Projeto Compartilhando a Ação - Este tem o objetivo de implantar o projeto na Igreja local, capacitando e atuando a equipe regional junto com a igreja local a trabalhar com a comunidade. Estivemos em 2006 na Igreja Metodista em Filadélfia junto com o Pastor Levi Felisberto e a comunidade do Bairro Dr. Laurindo, a atuação foi na Escola próxima, com a atuação dos projetos Reforço Escolar Sombra e Água Fresca, realizado com as crianças e com os adolescentes; o projeto de Prevenção ao uso indevido de Drogas e projeto Dando as Mãos que trabalha com a elaboração de currículos, reflexão das cotas das universidades para negros e carentes. Em 2007 esses mesmos projetos foram realizados na Igreja Metodista de Cabuís, junto à Pra. Laiza Gomes, com parceria com a Prefeitura de Nilópolis, Sesi e a comunidade.

Reuniões - Realizei com os Coordenadores das Pastorais e Projetos Regionais de Ação Socias reuniões mensais, para ouvi-los e participar das orientações recebidas do Bispo e da Secretaria das coordenações, para a elaboração dos encontros Regionais, avaliação dos seminários e nos distritos.

Renas do Rio de Janeiro - A Igreja Metodista se faz presente como parte do grupo gestor na formação da Rede Evangélica de ação Social na Região Metropolitana. Sua formação se deu no fórum de ação social realizado no dia 5 de maio deste ano na Catedral Presbiteriana no Rio de Janeiro, e estavam presentes o Secretário de Ação Social do Município do Rio de Janeiro. Presença No 1° Fórum Violência, Participação Popular e Direitos Humanos, realizada pela ONU e Rio de Paz, no Palácio Itamaraty, nos dias 23 e 24 de outubro deste ano.

Reforço escolar - Coordenadora Pra. Rosinete Siqueira - Em 2006, visitei as seguintes igrejas: Ricardo de Albuquerque, Irajá, Vargem Grande, Betel Santa Cruz, Água Branca, Mariópolis, Guadalupe e Jardim Carioca. Participei de todos os Seminários Integrados, informando e capacitando pessoas para implantar o Projeto SAF nas igrejas locais, dando ênfase no trabalho com o Reforço Escolar. Em maio realizamos na Igreja Metodista em Cascadura um encontro para capacitação das equipes do SAF e Reforço Escolar. Em 2007 estive nas seguintes igrejas: Ricardo de Albuquerque, Honório Gurgel, Edson Passos e Chatuba.

PRODAM (Programa Dando as Mãos) - Pra. Janemary Pacheco Gallindo - Foi realizado na Igreja Metodista Central de Nilópolis o primeiro treinamento do PRODAM com o projeto Voluntário Dando as Mãos. Formamos uma equipe de dez voluntários, onde eles receberam durante quatro encontros orientação sobre o mundo do trabalho. O conteúdo desenvolvido foi: As estratégias para encontrar trabalho; onde procurar emprego; como elaborar o seu currículo e uma carta de apresentação; o que é uma rede de relacionamento, como pesquisar na internet as vagas, como responder a um anúncio de emprego; como se comportar na entrevista; qual o objetivo das dinâmicas de grupo, como pesquisar sobre a empresa com vagas e estar atento para o seu marketing pessoal. Com este conteúdo os voluntários estão aptos a estarem orientando os desempregados e os jovens em seu primeiro emprego no projeto Mundo do Trabalho Dando as Mãos.
Saúde Integral - Enfermeira Suely Pacheco Tranni - Nos encontros regionais de ação Social temos realizado uma oficina sobre saúde completa do indíviduo, como também atuação no encontro da Pastoral da Favela e no Encontro da 3ª Idade.

Pastoral da 3ª Idade – Pra. Ruth Silva - Soma de trabalhos realizados nos distritos: 30 encontros distritais, 90 visitas as igrejas, 18 visitas as Instituições Metodistas e não Metodistas, visitas a 70 idosos acamados, 60 festas nos lares dos idosos, 20 visitas ao LAMAG, 6 correspondências aos idosos do IMCPL e 98 palestras.

Pastoral Regional de Combate ao Racismo - Coordenadora Teóloga Maria da Fé - Nosso seminário de julho aconteceu na Igreja Metodista Central de Nilópolis, no dia 5 de agosto das 15 às 18 horas, em parceria com o recém organizado Conselho Nacional de Negros e Negras Evangélicos, CENACORA, Fórum Permanente de Mulheres Negras Cristãs e convidados de outras organizações afins. Tivemos ainda um convite da prefeitura de Barra Mansa, para participar da semana de Consciência Negra, e estivemos no dia 21 falando na Câmara de Vereadores. Iniciamos a seguir a preparação do Encontro Regional para novembro, e nesse período vivenciamos a decisão do Pr. Luiz Daniel em se afastar da coordenação da Pastoral e a indicação de Maria da Fé da Silva Viana para substituí-lo. Marcamos a posse da nova diretoria para o evento que aconteceu nas dependências do ICP com a presença do Pr. Filipe Pereira de Mesquita, que oficiou a posse. Tivemos ainda as presenças das irmãs: Keila da Silva Guimarães, Coordenadora Nacional e Suenir Rocha Furtado, Coordenadora Regional.

Pastoral Carcerária - Pr. Edvandro Machado Cavalcante - No mês de setembro o Coordenador da Pastoral Carcerária na Região, na qualidade de representante da Igreja Metodista no Conselho da Comunidade da Comarca do Rio de Janeiro, foi recebido, juntamente com outras entidades participantes deste Conselho, pelo Secretário de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro. Batismos, Conversões e Cursos de qualificação profissional - Em torno de 60, no espaço de um ano. Diversos batismos têm sido realizados nas prisões, tem havido também considerável número de conversões com a atuação direta do casal de evangelistas Raimundo Nonato e Marina, que exercem com dedicação, amor e muitos frutos esta obra missionária no Presídio Feminino Bangu VIII e Casa de Custódia em Magé. Soma-se às nossas preocupações a qualificação profissional dos presos. Neste sentido realizamos um curso de capacitação profissional na área de corte e costura no presídio feminino Romeiro Neto. Outros cursos estão sendo planejados. Os Evangelistas Josias e Miriam também atuam junto a esta pastoral, se dedicando ao trabalho missionário no Hospital de Custódia e Tratamento Penal Heitor Carrilho.

Pastoral da Juventude em Conflito com a Lei - Pra. Maria do Carmo Moreira Lima - Este relatório tem como objetivo descrever as atividades realizadas durante o biênio 2006/2007. A Pastoral ao longo de mais de 13 anos desenvolve uma ação pastoral e pedagógica junto a adolescentes que cumprem medida sócio-educativa de internação na unidade CAI-Belford Roxo, integrante do sistema DEGASE, órgão responsável pela execução das medidas sócio-educativas do Estado do Rio de Janeiro. Sua linha está baseada no Estatuto da Criança e do Adolescente-ECA, Lei n. 8069 de 13/07/90, que dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente. Seguem as atividades: Re-criando com Deus - Atividade desenvolvida semanalmente, que visa o acompanhamento pastoral sistemático do adolescente; Encontros com a Psicóloga - Reunião da equipe com a mesma, para orientação terapêutica, atividade que acontece quinzenalmente. Durante o biênio são realizadas celebrações mensais de aniversário e também celebrações que acompanham o calendário litúrgico. Encontros de capacitação - Este biênio a Pastoral realizou três encontros: Múltiplos Aspectos da Juventude e o Trabalho do Educador, com participação dos professores da Escola Barbosa Lima Sobrinho, e em parceria com a LiPIS; Prevenção ao uso de drogas, em parceria com o NEPAD-UERJ; Brincar como técnica de abordagem da criança e do adolescente, com participação de professores da creche do ICP e professores da Escola Barbosa Lima Sobrinho (CAI).
Pastoral de Favelas - Pr. Paulo César de Macedo Lima - Outubro de 2006 - Palestra sobre sexualidade na Igreja Metodista da Gamboa, ministrado pelo Dr. Epaminonda, médico especialista no assunto. Novembro de 2006 - Palestra sobre geração de renda e auto estima com a Drª Cristine e encontro de Partilha na Igreja Metodista em Vieira Fazenda. Novembro de 2006 - Palestra sobre Prevenção e tratamento ao uso indevido de Drogas com o Evangelista Jonathas de Carvalho, Coordenador do SOS Vida, realizado na Igreja Metodista da Rocinha. Participação com aplicação de oficina sobre a Pastoral da Favela em todos os Seminários Integrados neste biênio.

3) Da Educação Cristã
Através da liderança dinâmica da Profª Deise Luce de Souza Marques, a área de Educação Cristã atuou intensamente, como veremos em seu relatório.

A Secretaria Regional de Educação Cristã é composta pelo Departamento de Escola Dominical, Federações de Juvenis, Jovens, Mulheres e Homens, Departamento de Trabalho com Crianças e o Ministério Regional de Ensino e Capacitação. Neste biênio a área manteve como ênfase a valorização e promoção do desenvolvimento da Escola Dominical. “A Educação Cristã, que tem como principal agência de capacitação a Escola Dominical, é um processo dinâmico para a transformação, libertação e capacitação da pessoa e da comunidade. Ela se dá na caminhada da fé e se desenvolve no confronto da realidade histórica com o Reino de Deus, num comprometimento com a missão de Deus no mundo, sob a ação do Espírito Santo, que revela Jesus Cristo, segundo as escrituras” (PVM).

Departamento Regional de Escola Dominical - Coordenadora Andreia Fernandes de Oliveira (2006) e Lorely Del Valle e Deise Silva Sousa (2007). Tendo por base a ênfase regional para a área de Educação Cristã, este departamento lançou uma nova campanha “Escola Dominical é para Toda Gente”, que objetiva estimular todos os segmentos de nossa igreja a participarem da Escola Dominical, aumentando, assim, o número de alunos nas classes. Participou de todos os Seminários Integrados realizados no biênio, promovendo espaços de formação para coordenadores(as) de ministério de ensino, professores(as) e superintendentes de Escola Dominical das igrejas locais, atingindo cerca de 1.200 pessoas de diferentes distritos da Região. Em 2006, realizamos o IV Encontro Regional de Escola Dominical que contou com a participação de cerca de 850 pessoas que puderam se capacitar para seu trabalho na ED com palestras e oficinas. Além disso, vale destacar que participou de todas as atividades propostas pela Coordenação Nacional de Educação Cristã, como a reunião de planejamento do Congresso Nacional de Escola Dominical e o Fórum de Educação Cristã, a fim de partilhar experiências e promover o fortalecimento da Escola Dominical em nível nacional.
Departamento Regional de Trabalho com Crianças – Coordenadora Rogéria de Souza Valente. Neste biênio, o departamento deu continuidade à publicação do caderno Nós e as Crianças, editando mais sete títulos. O programa distrital de capacitação de pessoas que trabalham com crianças seguiu se desenvolvendo. Em 2006, o departamento participou do 1º Projeto Rompendo as Fronteiras, desenvolvido pelo Ministério Voluntários em Missão, treinando irmãos(ãs) que trabalham com crianças nas igrejas metodistas no Paraguai. Em 2007, deu continuidade a parceria com a coordenação do Projeto Missionário de Férias, preparando os projetistas para o trabalho com as crianças nos campos de missão; e com o Evangemed, realizando, em 2007, o 2º Evangecrianças na Igreja Metodista em Jardim Novo Realengo, onde as crianças receberam atendimento médico-pediátrico, orientação com nutricionista, aplicação de flúor, participaram de brincadeiras e ouviram sobre o Evangelho de Cristo. Durante o biênio aconteceram duas Conferências Regionais de Pessoas que Trabalham com Crianças e foram ministradas 20 oficinas para cerca de 400 participantes.

Federação Metodista de Juvenis – Conselheiro Pr. Djalma Barbosa de Lima Filho e Presidência de Ivy Oliveira. Durante este biênio, a Federação de Juvenis realizou 5 vigílias regionais, e desenvolveu encontros de capacitação para os juvenis e conselheiros. O projeto JUMEMI, Juvenis Metodistas em Missão, uma parceria com o Projeto Missionário de Férias, aconteceu em Cabo Frio (2006) e em Macaé (2007).

Federação Metodista de Jovens – Presidência Queli Vieira – A Federação de Jovens, com base no tema nacional da juventude, “Todo Mundo Trabalhando pela Esperança”, desenvolveu suas atividades neste biênio, com o objetivo de integrar e formar a juventude metodista numa perspectiva de consciência crítica, responsabilidade social e compromisso com os valores do Reino de Deus. Ainda durante este biênio, a Federação realizou a 8ª e a 9ª Festa da Mocidade Metodista, com a participação de cerca de 2.000 jovens. O Projeto Momento de Deus para Missões aconteceu em 2006, na comunidade de Novo Camarão (Santa Cruz) e, em 2007, em São Gonçalo. Esse projeto tem sido um espaço para que a juventude metodista tenha contato com a missão de forma integral, pois relaciona as áreas de expansão missionária, educação cristã e ação social.
Federação Metodista de Mulheres – Presidência de Sônia Batista Teixeira – Em 2006, realizaram o V Encontro Regional da Mulher Metodista, em Teresópolis, com aproximadamente, 1.000 participantes, e, em 2007, o VI Encontro foi realizado na Igreja Metodista de Cascadura, quando cerca de 900 participantes puderam ouvir sobre o tema “Acolhendo Mulheres, Unindo Valores”. A Federação de Mulheres realizou os cultos do pastor aposentado em 2006 (Igreja de Pilares) e em 2005 (Igreja Central de São Gonçalo).

Federação Metodista de Homens – Presidência de Celso Teixeira – Durante este biênio a Federação enfatizou os programas de capacitação de liderança a prática do evangelismo e da doutrina metodista. Foram realizadas palestras para informar os homens quanto a importância da prevenção dos problemas da saúde que ocorrem na idade madura. A federação criou uma coordenação de intercessão que atua em nível regional, distrital e local para interceder pela Igreja, pelos Bispos, Ministérios, Secretarias e pelo nosso país.

4) Da Expansão Missionária
Sob a liderança do Dr. Wilson Barbosa Bonfim Filho, evangelista e médico, tivemos uma série de participações junto aos Distritos e Instituições Regionais.

Desde nosso envolvimento inicial participamos do desenho do planejamento estratégico regional e agora estamos empenhados em implementar as ênfases regionais, em especial a ênfase promovendo o discipulado, agora animados com o lema nacional “Espalhando a Santidade Bíblica sobre toda a Terra”. Estamos promovendo o amadurecimento do voluntariado em Missão na Região até os confins da Terra. Métodos: Através da divulgação e promoção dos conceitos de parceria e ministérios auto sustentáveis e das parcerias distritais a qual estamos utilizando o Evangemed e voluntários em missão; diversos eventos e acontecimentos com fundos decorrentes das diversas localidades e promovendo parcerias para a missão. Utilizamos ativamente os Seminários Integrados para divulgar e capacitar pessoas nas diversas áreas de atuação missionária da Igreja. Estabelecemos como alvos regionais dois pólos de missões; um na escola e outro no ICP, ajudando a tornar os dois como duas referências básicas de uma na área de formação e envio e a outra na área de missão integral da Região. Estamos amadurecendo o conceito interdisciplinar e interinstitucional de missões atuando em parceria com Área de Educação, através das parcerias com as Federações de Jovens, Juvenis e agora chamando a de Homens e Mulheres para tomar parte do projeto Voluntários em Missão, saindo da condição de apenas receptor de voluntários estrangeiros, mas agora se firmando como parceiro mundial em missões, já tendo alcançado: Paraguai, Moçambique e Estônia. Também estamos trabalhando com a Área de Ação social: Saúde integral, ajudando a formar o conceito de voluntariado social como missão integral e partiremos a buscar pessoas para apoiarem os projetos sociais da Igreja. Ativamente visitamos os EUA em busca de parcerias em Missão e palestras, levando nosso ministério regional agora ao status de parceiro oficial de Voluntários em Missão internacional. Estamos apoiando a conformação da Escola de Missões na sua transição de escola para agência de missões e buscando recursos humanos e materiais na área internacional, ajudando para que a mesma sirva de apoio as ações da região na área de formação de quadros. Apoio na coordenação do Ato Profético, elaborando o Manual de voluntários e coordenação com Jovens/Juvenis e busca do conjunto SJ-Life.

Voluntários em Missão - Pras. Selma Antunes da Costa, Dilcea Cunha Dias, Angela Cristina da Silva Nascimento e Pr. Dr. Nelson Eduardo Santos Lucas. Participação em eventos regionais – Janeiro de 2006: I Encontro dos Voluntários em Missão, na Escola de Missões. 2007 - Janeiro - Projeto Missionário de Férias, na Escola de Missão, Fevereiro - Reencontro com a Equipe do Projeto Missionário de Férias, na Igreja Betel em Nilópolis, Abril - Encontro de Pastores na Escola de Missão, Junho- Visita ao grupo na 2ª Fase da semana do Candidato. Atividades variadas: Palestras para grupo de jovens do Distrito de Campo Grande, em Campo Grande, Palestras para grupo de jovens do Distrito de Realengo, no Instituto Ana Gonzaga, Plantões periódicos na Sede Regional e ICP, participação na Câmara Municipal, no Debate para a redução da maioridade, participação na reunião do Fórum Social Evangélico do Estado do Rio de Janeiro, reuniões de Planejamento com a Equipe de Colisão no Projeto Mais que Ouro, reuniões Preparativas para a viagem a Moçambique, julho - Promoção e Participação das Campanhas na área de Saúde durante os Jogos Pan americanos: Engenhão, Cidade de Deus e Padre Miguel, Seminários Integrados na Igreja do Retiro .

Projeto Missionário de férias: JUMEMI Teórico em Cabo Frio, 22º PMF Teórico na Escola de Missões; Prático em Campos; Parada de Lucas (Equipe: 5 Pessoas); Congregação de Anchieta (Equipe: 6 Pessoas); Congregação do Jordão (Equipe: 5 Pessoas) e Campo Missionário em Santíssimo (Equipe: 6 Pessoas).

Ministério da Família – Seminários Integrados e ações locais.

Ministério de Avivamento - Eventos Aldersgate por dois anos seguidos.

Ministérios de Intercessão - Apoio aos eventos regionais e seminários distritais, incluindo Ato Profético. Apoio total a Escola de Missões em recursos e visitas e ensino.

Evangemed - Criação de diversos pólos: Campo Grande, Taquara e ICP. Inclusive ajudando a montar um novo ICP.

Programa de Rádio No Cenáculo – Participei diversas vezes com mensagens no programa No Cenáculo, e quero registrar meu agradecimento ao nosso dedicado Pr. Luiz Daniel Nascimento.

5) Da Ação Administrativa
A atividade do nosso Secretário Executivo de Ação Administrativa, irmão Júlio César Fernandes, e do Ministério Regional de Apoio Administrativo, tem sido de acompanhamento do trabalho da tesouraria regional, e no controle do orçamento programa regional. Vejamos o que nos informa o próprio secretário. Preciso reconhecer este exaustivo trabalho. Este relatório será relatado na apresentação do relatório da Tesouraria Regional e na proposta do Orçamento- Programa. Mas vejamos alguns destaques: Integram a Secretaria Regional de Ação Administrativa, o Secretário Executivo, Júlio César Fernandes, o Secretário da Associação da Igreja Metodista, Rosemari Pfaffenzeller Constantino, a Tesoureira Regional, Lydia Faleiro Monteiro, o Contador Regional, Lemuel Rodrigues, e o Coordenador do Ministério Regional de Apoio Administrativo, Elio Goulart, além dos integrantes do MAAD, convidados pelo Revmo. Bispo Paulo Lockmann: Pr. Francisco de Souza Dantas, Assessor Pastoral, Pr. Ari Guedes Cunha e Nilton Pregizer Duarte. A Secretaria Regional de Ação Administrativa tem sua competência estabelecida nos Cânones e no Regimento da 1ª Região Eclesiástica, abrangendo, especialmente, as áreas econômica, financeira, patrimonial e administrativa. Os integrantes da Secretaria Regional de Ação Administrativa sempre foram conscientes de seu papel de auxiliares do Revmo. Bispo Paulo Lockmann, atuando em áreas de trabalho ligadas à sua formação profissional ou afins. Nessa função de auxiliares, todo o trabalho foi realizado sem hierarquias, dentro de um sistema misto de reuniões e de trabalho individual ou em grupos. Sem prejuízo de informalidade do trabalho, a Secretaria realizou reuniões mensais, como norma geral, além de outras avulsas, quando se fizeram necessárias, contando sempre com a presença do Revmo. Bispo Paulo Lockmann.

Reconhecemos os diferentes esforços feitos pelos irmãos e irmãs desta área, quanto às finanças e ao patrimônio da igreja local. Mas nosso esforço é na Campanha Nacional do Dízimo. Dízimo é um preceito bíblico incontestável, como está provado na Pastoral do Colégio Episcopal sobre o tema. Não conheço nenhum membro de igreja que seja fiel dizimista, e seja contra o dízimo; os poucos que vi se posicionando contra nunca haviam experimentado a ordenança bíblica de ser dizimista. Enfim, queremos gerar recursos para investir no Reino de Deus. Já está em desenvolvimento o sistema de administração de igreja “Koinonia” em substituição ao CONECTA, para atender melhor as igrejas no cadastro de membros, controle de arrecadação, assim como dos gastos, emissão de relatórios Gerenciais e Financeiros em dia, para auxiliar a tomada de decisões da liderança das igrejas locais. Dentro das tarefas principais realizadas pela Secretaria Regional de Ação Administrativa e MAAD, no biênio 2006/2007, as que destacamos são as seguintes: Demonstrativo das Receitas e Despesas pela Administração Regional, encaminhados, periodicamente, às igrejas locais; execução orçamentária de 2006 e 2007 até o mês de setembro e proposta orçamentária para 2008; acompanhamento da arrecadação das igrejas locais em 2006; negociação de débitos das igrejas locais, ressaltando que, em 2007, até o mês de setembro, a arrecadação proveniente das igrejas locais estava acima do previsto no Orçamento Programa; atendimento aos/às tesoureiros/as, coordenadores/as de MAAD e Pastores/as; relatório de análise e desempenho das igrejas locais; continuidade do projeto “Todo Metodista um Dizimista”, com a confecção de envelopes padronizados para adultos e crianças. Esses envelopes de dízimos, além de serem usados por todas as nossas igrejas, também estão sendo usados pela REMNE, REMA e muitas igrejas das outras regiões.

Destaco que em 2007 contratamos o auditor Ronald Ribeiro Campos para fazer auditoria na contabilidade da Região nos exercícios de 2006 e 2007 (até o mês de junho).
Preciso sublinhar que neste período tivemos a mudança do Secretário Executivo da Associação da Igreja Metodista, o Pr. Ananias Lúcio da Silva deixou esta Secretaria, e foi substituído pela Rosemari Pfaffenzeller Constantino, o qual vem, desde fevereiro de 2007, exercendo, satisfatoriamente, a função, crescendo no domínio desta complexa área de serviço da Igreja.


6) Das Instituições Regionais
Como o relatório das Instituições integra o relatório da Coordenação Regional de Ação Missionária - COREAM, tendo as mesmas espaço no Concílio para dar seu informe, me limitarei a breves comentários avaliativos.

6.1) Lar Metodista Ana Gonzaga – Embora tenha sido integrado ao Instituto Metodista Ana Gonzaga, relato considerando a natureza histórica da instituição. Nosso lar das vovós continua prestando seus belos serviços às mulheres idosas. Hoje, conta com 18 internas. Atualmente, dirige a instituição nossa irmã Lydia Dolyra. A instituição passa por algumas reformulações de pessoal, que visam à melhoria do serviço por nós prestado. Leva consigo a marca de amor do trabalho realizado por nossa irmã Nilda Werner e seu esposo, Jairo Werner, os quais continuam cooperando com esta obra. Sua integração ao Instituto Metodista Ana Gonzaga, embora desafiadora tem gerado um novo e criativo momento de atendimento. Vejo um entrosamento entre a direção da irmã Lydia Dolyra e o diretor, irmão Ronaldo Rodrigues Pereira.

6.2) Instituto Metodista Ana Gonzaga – Desde 2005 o nosso IMAG vem num processo de reestruturação, tivemos após a saída do Pr. Davi Lessa, um período de intervenção, onde o diretor substituto era o Pr. Arnaldo Monteiro da Silva. Em outubro de 2006 após o término da intervenção foi organizado o novo Conselho Diretor com a participação dos seguintes irmãos e irmãs: Áureo Lídio Moreira Ribeiro, Pr. Walkimar Gomes, Pr. Jamerson Pinheiro Rosa, Mary de Oliveira Alonso e Pr. Rubem Correa Barbosa Filho, e também assumiu o irmão Ronaldo Rodrigues Pereira, o qual retomando as mudanças iniciadas pelo Pr. Arnaldo, desenvolveu grandes mudanças, iniciando novos convênios, o que tem melhorado gradativamente os serviços da Instituição, como veremos no informe que eles mesmos darão, assim como no relatório da COREAM.

6.3) Instituto Metodista Carlota Pereira Louro – Nosso lar de idosos em Três Rios, segue num processo constante de crescimento e melhoria dos serviços prestados, fazendo investimentos para adequar-se as novas legislações para instituições que atendem a 3ª idade.

O trabalho dinâmico da Instituição é dirigido pelo irmão Marcos Silva Mesquita, tendo na presidência do Conselho o Pr. Nelson Santos de Souza, e como conselheiros: Pr. Sandro Aparecido Ribeiro, Pra. Célia Rodrigues dos Santos Silva, Marly Araújo da Costa, Rogéria de Souza Valente, Pr. Paulo Henrique Mendes Maurício e Pr. André Luiz Santos.

6.4) Instituto Metodista de Ação Social – Nosso ICP completou 100 anos neste biênio, evento que foi marcado por grandes eventos e celebrações, e uma belíssima encenação teatral foi feita, com efeito marcante na comunidade. Tive o privilégio de pregar no culto dos 100 anos.

O ICP passa por grandes reformulações no momento, seu custo foi diminuído, os serviços as crianças foram dinamizados. O processo de integração com o Bennett foi iniciado, tendo sido levado novos serviços à comunidade do Morro da Providência e aos bairros da Saúde e Santo Cristo. Por exemplo, a clínica de fisioterapia foi transferida para as instalações do ICP, assim como o escritório de assistência jurídica gratuita.

Neste momento ainda é difícil avaliar o processo de transferência do ICP para o Bennett, pois o mesmo recém se iniciou em uma decisão da COGEAM, com o aval da COREAM e do grupo gestor do Bennett.

Maiores informações sobre a instituição estão no relatório da COREAM e no informe da mesma.

6.5) Instituto Metodista de Formação Missionária – Nossa Escola de Missões teve este biênio um reconhecido crescimento. Experimentou também uma mudança de direção. No início de 2007 o Pr. Carlos Alberto Tavares Alves deixou a direção geral, função que exercia desde a fundação da Escola em 2000, período de muito trabalho para implantação da Escola, com várias obras, busca de professores, enfim de muito esforço e sacrifício. O Bispo e a Igreja Metodista na 1ª Região Eclesiástica serão sempre gratos ao Pr. Carlos Alberto Tavares Alves por seu ministério junto à Escola de Missões.
Assim, em fevereiro de 2007 assumiu a direção da Escola de Missões o Pr. Regison Marcos Coutinho dos Santos, trazendo novos sonhos e desafios, os quais começam a ser implantados.

Pessoalmente estive envolvido na busca de recursos para a Escola de Missões, fiz 3 viagens aos EUA com o objetivo de buscar parceiros para investir na instituição, a curto prazo no 1º semestre levantamos $ 162,000.00, os quais foram na sua maior parte investidos nas novas construções para atender a Escola e a missão da Igreja.
Maiores informações serão dadas pela Escola neste Concílio.

V) Atos de Pastorais de Governo Episcopal
Como é do conhecimento de todos(as) o Bispo não é somente o Superintendente da 1ª Região Eclesiástica, mas é também membro do Colégio Episcopal e dos demais organismos de que, como Igreja, fazemos parte.

Por esta razão, como Bispo, me foi dado pela Igreja Metodista tarefas no nível regional, nacional e internacional.

1) Área Internacional
Na condição de Presidente de CIEMAL – Conselho das Igrejas Evangélicas Metodistas da América Latina e Caribe, acompanhei seus diversos programas, especialmente em apoio as novas igrejas, em países como: El Salvador, Nicarágua, Colômbia e Venezuela. O trabalho de CIEMAL é desenvolvido pelas coordenações dos projetos e pela Secretaria Geral exercida pelo Bispo Emérito Aldo Etchegoyen. Nossa vitória neste biênio foi a intensificação da relação e apoio missionário com a Igreja Metodista Unida através do Ministério Hispano-Latino, órgão da Igreja nos EUA, da qual faço parte. Por conta do CIEMAL fiz 6 viagens ao exterior no biênio, todas em média de 4 dias.

No ano de 2006 participei com a delegação do Brasil no Concílio Mundial Metodista, realizado de 24 a 31 de julho de 2006, em Seoul, na Coréia. Neste maior evento do metodismo, fui eleito Vice-Presidente do Concílio Mundial, função mais representativa do que executiva ou deliberativa, no Concílio que se organiza em comitês participo do comitê de Evangelismo há 18 anos. Neste nível viajei, por conta do Concílio Mundial, 4 vezes ao exterior. Preciso dizer que graças a estes espaços internacionais viajei a convite de diferentes regiões eclesiásticas da Igreja Metodista nos EUA, sempre com as despesas pagas por eles, para divulgar e promover nossa Escola de Missões e projetos sociais. Neste ano consegui levantar cerca de $ 162,000.00, sendo que a maior parte foi investida na Escola de Missões.

2) Área Nacional
Como Bispo, membro do Colégio Episcopal, cumpri designação de Bispo Assistente do Conselho Geral das Instituições Metodistas – COGEIME no ano de 2006, onde atuei em busca da efetivação da Rede Metodista de Educação, proposta que foi aprovada pelo Concílio Geral em julho de 2006.

Participei ainda de 8 reuniões do Colégio Episcopal, todas com duração, em média, de três dias. Ajudei o Colégio na produção de diferentes documentos. Participei de 6 reuniões do COGEIME no ano de 2006. Em 2007, como início do novo qüinqüênio, fui designado bispo assistente da Faculdade de Teologia onde estive em duas reuniões no ano de 2007.

A maior reunião do biênio foi a do Concílio Geral em julho de 2006 onde a 1ª Região Eclesiástica se fez presente com 50 delegados, sendo deste modo a maior delegação.

3) Área Regional
Como presidente da Coordenação Regional de Ação Missionária – COREAM reuni e presidi a mesma 26 vezes no biênio, excluindo o mês de janeiro, reunimos todos os meses, além de reuniões extraordinárias. Pelo relatório da COREAM os irmãos e irmãs podem ter uma idéia do volume de trabalho. Como Bispo e/ou como COREAM reunimos com os Conselhos Diretores das Instituições Regionais.

Durante o biênio reuni com ministérios e pastorais. Junto a isto reuni com freqüência com os Secretários de Área para acompanhamento da execução do planejamento regional. No biênio foram ao todo 93 reuniões no nível regional, excluída as reuniões com os Superintendentes Distritais que já foram relatadas. Não há outro caminho, com o crescimento da Região, a demanda de acompanhamento e supervisão exigiu este intenso número de reuniões.

3.1) Encaminhamentos de licenças
Durante o biênio, dei atendimento e encaminhei para as devidas Comissões, Ministério de Apoio Episcopal e Coordenação Regional de Ação Missionária - COREAM, os seguintes irmãos para licença para tratar de assuntos particulares: Márcia Christo Scognamillo, Davi Pontes Lessa, Carlos Renato Jardim, Roberto Luiz dos Santos, Jonas Falleiro, Vítor Paulo Rodrigues Ferreira, Luciano dos Santos Silva, Marcus Vinícius Rizzo Scognamillo e Samuel Pinto de Oliveira; para tratamento de saúde: Luiz Tonietto; para estudo: Timóteo Paixão dos Anjos.

3.2) Encaminhamentos de aposentadoria

Dei encaminhamento aos pedidos de aposentadoria, segundo os trâmites canônicos, para os seguintes irmãos: Juarez Francisco Ferreira, Jozias Pereira Jorge, José Gomes de Barros e Valdenir Resende Neves.

3.3) Encaminhamento de Processos Disciplinares
Atendi pastoralmente e encaminhei à COREAM as queixas e ou denúncias contra os seguintes obreiros/as: Davi Pontes Lessa, Hélio de Oliveira, Ricardo Saavedra Valência, Edna Valéria Moreira de Oliveira Barbosa, Carlos Alberto Rodrigues, Luiz Eduardo dos Santos Silva e Cléia Maria Cabral de Melo.

3.4) Propostas de Disponibilidade.
Propus, encaminhamento, com o parecer favorável do Ministério de Apoio Episcopal e da Comissão de Relações Ministeriais, do seguinte nome: Davi Pontes Lessa, Rodinelli Silva Ribeiro, Márcia Christo Scognamillo, Marcus Vinícius Rizzo Scognamillo e João Batista de Souza.

3.5) Exclusão da Ordem Presbiteral e Ministério Pastoral, a pedido e em cumprimento ao disposto nos Cânones: Osias Ramos, Wesley Ernesto Rezende, Adão Teixeira, Cideval Carneiro Campos e Renivaldo Andrade dos Santos.

3.6) Cancelamento do quadro de Pastores Aposentados, a pedido por transferência para outra igreja evangélica: Adalgisa Antunes Dias e Miquéias Ferreira Dias.

3.7) Retorno ao Ministério Pastoral: Giselma de Souza Almeida Matos.

3.8 ) Transferência definitiva para a 1ª Região Eclesiástica: Alair Zerbinato.

3.9) Obreiros da 4ª Região Eclesiástica cedidos a 1ª Região Eclesiástica: Clóvis de Oliveira Paradela, Ewander Ferreira de Macedo e Jorge Eleotério dos Santos.

4) Obreiro da 1ª Região Eclesiástica cedido a 4ª Região Eclesiástica: Luiz Tonietto e Aluísio Ferreira Neto.

4.1) Controle de Obreiros
A Região tem, no momento, em seu quadro de obreiros e obreiras: 159 Presbíteros Ativos e 47 Presbíteras Ativas, 9 Presbíteros Comissionados, 1 Presbítera Comissionada, 31 Presbíteros Inativos, 2 Presbíteras Inativas, 9 Pastores Suplentes Inativos, 28 Pastores Ativos, 7 Pastoras Ativas, 2 Pastores Comissionados, 17 Pastores Inativos, 1 Pastora Inativa, 179 Aspirantes à Ordem Presbiteral, 2 Aspirantes ao Presbiterado Comissionados, 15 Aspirantes ao Pastorado, 1 Diácono com nomeação episcopal, 1 Diácono Inativo e 2 Diaconisas Inativas.

4.2) Falecimentos
Neste momento lembro o falecimento de alguns obreiros e obreira que muito nos ajudaram na caminhada pastoral:
- Daniel Petrak,
- Messias Amaral dos Santos,
- Ermil Correa da Silva,
- Átila Dias e
- Vera Lúcia Ribeiro Santos.


Conclusão:
Chegamos a todas estas atividades e visíveis frutos porque somos o Corpo de Cristo, uma imensidade de irmãos e irmãs, com uma variedade de dons e ministérios.

Encerro este biênio com a convicção partilhada pelo nosso pai na fé em Cristo Jesus, qual seja: “... vivi para reavivar, fortalecer e defender a pura doutrina dos Apóstolos.”
Estou convencido que a visão de Deus para ganharmos 1.000.000 de discípulos(as) será realizada, como já foi realizada no Metodismo nos EUA, ou na África do Sul, na Nigéria e mesmo na Coréia. Em todos estes países, fora os EUA, que são menores que o Brasil, e já ultrapassaram em muito um milhão de membros, o Deus que levantou o metodismo na Inglaterra, e atuou nestes países, está vivo e pronto para nos abençoar também.

Preciso registrar minha gratidão aqui a nuvem de testemunhas que me auxiliaram a caminhar, plantar e colher os frutos que apresentamos neste relatório. Começando com Ângela Catharino, minha secretária, que deu execução a diversos encaminhamentos do Bispo, sem seu trabalho diligente não alcançaríamos nossos objetivos. Agradeço ainda ao Roberto Pimentel em sua ajuda a secretaria episcopal, a Ester Machado por seu apoio a COREAM e aos ministérios. Agradeço aos Secretários Executivos de Áreas: Júlio César Fernandes, Suenir Furtado, Deise Luce Marques, Wilson Bonfim, Roberto Constantino, Paulo Welte e Paulo Fernando, aos companheiros/as do Ministério Regional de Apoio Administrativo: Júlio César Fernandes, Élio Goulart, Lydia Faleiro Monteiro, Lemuel Rodrigues, Nilton Pregizer, Rosemari Pfaffenzeller Constantino, Pr. Ari Guedes e Pr. Francisco de Souza Dantas. Aqueles/as que na COREAM levaram comigo o dia-a-dia da Administração Regional: Adriana Márcia Tardelli, Deise Luce Marques, Pra. Joana D´Arc, Pr. Marcello Fraga, Norma Depes Vieira, Pr. Paulo Fernando Barros, Rosemari Pfaffenzeller Constantino, Pra. Selma Antunes e Sonia Nascimento Palmeira no biênio. A todos os nossos dedicados funcionários da Sede Regional: Alexandre Pereira, Dayse Ellen, Maria Helena Batista, Marília Onofre, Nuclécio Lima. Agradeço, também, a Assessoria Pastoral do Pr. Filipe Pereira de Mesquita, o qual muito tem me ajudado na caminhada. Sublinho, ainda, o suporte de oração intercessória recebido no dia-a-dia, dado pela Pra. Ruth Maria Kato e respectivas equipes, para quem, como eu, que, numa semana, entro na fornalha ardente, e na outra na cova dos leões, só a oração constante pode me conceder vitória.

Finalmente digo que Deus me deu uma esposa maravilhosa, Gláucia, que tem sido auxiliadora, que com amor e dedicação me apóia, consola e estimula. Aos meus filhos Guilherme, Paula, Angela e Fernando, que são bênção e estímulo ao meu ministério.

Neste ano Guilherme e sua esposa Ana me deram um neto, o Lucas, e Angela e Ewander me deram outro neto, o Samuel, foi muita bênção. Registro ainda que meus genros Ewander e Bob, assim como minha nora Ana trouxeram também amor e carinho a nossa vivência familiar.

Por tudo isso, tributo a Deus Pai, Filho e ao Espírito Santo a razão de ser do meu ministério, pois sem sua bênção não aconteceria nada, e eu não seria nada. Sim, nossa caminhada missionária é resultado de sua graça e seu amor. A Ele, então, toda a honra e toda glória, hoje e sempre. Aleluia! Amém, Amém, Amém!

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.