IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Vida Cristã
Rio, 27/4/2009
 

O que não agrada ao Pai?

Pr. Hebert Junker


 

(Texto adaptado da internet – autor desconhecido)

Deus não nos chamou para fazermos o melhor que pudermos com a nossa vida cristã. Ele nos salvou e continua conosco para nos ensinar e nos ajudar a viver esta nova vida.

Todos conhecem a Parábola do Filho Pródigo (Lucas 15.11-32). Talvez esta parábola deveria ser chamada a parábola do/a filho/a mais velho/a, pois ela relata exatamente a postura de uma pessoa religiosa (semelhante a nós?). Ela aborda alguns conceitos errados sobre como agradar o pai em três afirmações simples, e que com certeza já passaram em nossas mentes ou até estamos alicerçadas nelas. Estas afirmações resumem o entendimento errado que mantém as pessoas atoladas na religião e tradicionalismo, ao invés de desfrutarem uma vida plena com Jesus.

PRIMEIRA AFIRMAÇÃO: “HÁ TANTOS ANOS QUE TE SIRVO...”

Ele desenvolveu o pensamento de que o serviço era a chave para agradar o coração do pai. Alguém certa vez disse: “Não seria uma grande tragédia passar uma vida inteira fazendo uma torta para Deus e só depois descobrir que Ele nunca gostou de tortas?” Aqueles que pensam assim manterão um registro de tudo o que fizerem para Deus e até tentarão usar isso como uma possível barganha por bênçãos.

Mas, definitivamente, não fomos criados para trabalhar para Deus. Quando Deus criou o homem, Ele o colocou num jardim de Éden e não numa linha de montagem de uma fábrica. O que agrada a Deus é o nosso relacionamento com Ele como filhos e filhas. Não amamos nossos/as filhos/as pelo que eles fazem por nós, nem tampouco o Senhor.

SEGUNDA AFIRMAÇÃO: “JAMAIS TRANSGREDI UMA ORDEM TUA...”

Na primeira afirmação, vimos o trabalho e o serviço como ênfase. Agora, porém, ele pensa que agradar o pai era uma questão de guardar regras e normas. Por isso, ele se recusava a participar da festa de comunhão com o irmão.

A justiça própria daqueles que se definem assim em termos de regras, restrições e regulamentos é insuportável. Eles nunca se divertem e nem permitem que você se divirta também. Se não vivermos à altura de suas expectativas, podemos esperar críticas, punições e rejeições.

Você pode estar debaixo desse pensamento, se aquele sentimento constante de estar 'faltando algo' o controla. Você sente que nunca orou o suficiente, nunca contribuiu o suficiente, nunca leu o suficiente, nunca se preparou o suficiente; enfim, você não foi capaz de agradar a Deus. Todos esses sentimentos são frutos do pensamento de que precisamos ser ou fazer algo para merecer a graça dEle. Se for merecimento, não é graça, mas dívida; e, se é graça, então não há espaço para o mérito humano.
Você precisa entender, de uma vez por todas, que é impossível agradar a Deus com obras. Somente O agradamos, se confiarmos na Sua graça. Que obra pode fazer o homem e a mulher que seja suficientemente perfeita para agradar o Senhor do Universo, que é perfeito em tudo?

TERCEIRA AFIRMAÇÃO: “E NUNCA ME DESTE UM CABRITO SEQUER PARA ALEGRAR-ME COM OS MEUS AMIGOS”.

Aquele filho viveu toda a sua vida com um desejo oculto não satisfeito. Ele sempre quis fazer um churrasco com seus amigos, mas ele pensava que seu pai iria lhe negar o novilho. Todos aqueles anos trabalhando e se esforçando para ser um bom filho foram em vão, porque agora aparece o filho ingrato e recebe de graça tudo aquilo que ele sempre quis. Ambos os filhos desconheciam o pai. O primeiro partiu para só depois perceber o que havia perdido, e o segundo ficou em casa sem nunca perceber que tudo era seu.

A maior parte das coisas que nos pesam não fazia parte da vida de Jesus. O seu ministério não parecia ter uma agenda fixa ou rígida, mas tudo dependia do Espírito. Ele nunca tentou provar o que era fazendo alguma coisa. Assim como Jesus, nós não precisamos provar nada. Nós precisamos apenas assumir a nossa posição como filhos e filhas. Nós somos filhos e filhas, e isso é o suficiente para termos tudo do Pai.

A casa está aberta para você. Não existem quartos fechados, comidas proibidas e nem móveis que não possam ser tocados, porque tudo é seu. Se parece haver alguma restrição é para o seu bem. Afinal, brincar com facas é perigoso!

Deus nos abençoe!

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.