IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Esperanša
Rio, 13/4/2010
 

Quando sonhar torna-se o nosso maior desafio (Marcello Fraga)

ZZ Outros Colaboradores ZZ


 

“ Nem olhos viram e nem ouvidos ouviram e jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” (II Co 2:9)

Constantemente ouvimos pessoas incentivando-nos a sonhar. Estimula-nos a acreditar que é possível alcançar nossos anseios e desejos através de fórmulas mágicas, tomadas de conteúdo pagão e que geralmente exige muito pouco ou nada de nós.

Como sonhar depois de perder quase tudo? Como dizer a um haitiano que é possível sonhar? A um miserável que ele pode vencer a sua miserabilidade? A verdade é que sonhar exige de nós uma força sobrenatural, força essa marcada pelo desejo de superar limites.

Quando realmente somos forjados na consciência do evangelho percebemos com muita clareza que na revelação bíblica os verdadeiros sonhadores e sonhadoras “nasceram” em meio as ruínas, brotaram dos escombros, floresceram no deserto e acima de tudo souberam discernir o significado de sonho e realidade na vida daquele ou daquela que se dispõe a caminhar no chão da fé.

Em 1968 o então pastor americano Martin Luhter King pregou um sermão intitulado : “Eu tenho um sonho.” Desejou que o sonho americano também fosse possível aos seus irmãos negros. Esse sonho custou-lhe a própria vida. Quarenta anos depois a semente do sonho de liberdade e igualdade, regada com sangue, germinou, possibilitando o que para muitos parecia impossível, um presidente negro.

Realmente nenhum sonho floresce em ambientes de fábulas, mas sim em via dolorosa. Quando olhamos para a revelação bíblica percebemos que os sonhadores ou sonhadoras foram forjados literalmente na dor, na angústia, nas perdas significativas, sem nenhuma perspectiva de amanhã. Para muitos deles, a morte era muito mais real do que sonhos, visões e profecias.

Ao refletirmos na história dos patriarcas percebemos claramente que ao pisar no chão da promessa, suas vidas foram marcadas por momentos difíceis e conflitantes. Senão vejamos:

Abraão: Moveu-se por um sonho, por uma promessa, caminhando por estradas onde o chão carregava as marcas das incertezas. Caminhou na força do dia chamado hoje, sempre em direção ao lugar do sonho.

Jacó: Andou por sonhos e visões no caminho marcado por conflitos interiores e familiares.

José : Chamado pelo seus algozes de sonhador. Aprendeu a superar dores e feridas existenciais olhando para o sonho que Deus havia lhe dado.

De todos os sonhadores que Deus levantou na nação de Israel, para mim, o mais apaixonante é o profeta Joel. O profeta vivenciou o período mais crítico da história de Israel até então.

O país estava devastado por catástrofes de todas as ordens. A agricultura dilacerada pela seca, as plantações devastadas por pragas de gafanhotos de todas as espécies, o gado morto pela fome e sede. Quando o povo pensava em ergue-se dos escombros, quando enxugava as suas lágrimas, lá vinha outra catástrofe natural. Estava quase impossível recomeçar. A situação estava tão caótica que o profeta é tomado por uma consciência escatológica e passa a explanar sobre o juízo divino.

Quem começa a ler o livro de Joel é tentado a crer que Deus os entregou a sua própria sorte. Sonhar naquele ambiente é coisa para louco. Quem em sã consciência poderia acreditar em visões para jovens e sonhos para idosos? Deus gerou em Joel aquilo que para qualquer ser humano naquele momento seria impossível. Sonhos e visões.

Deus começa a gerar sonhos de um tempo novo. Um tempo de celeiros cheios de trigo, de lagares plenos de vinho, de oliveiras jorrando azeite por seus caules, de figueiras carregadas de frutos de cura. E depois de tudo isso anuncia a maior de todas as promessas e sonhos: o derramamento do Espírito.

O derramar do Espírito gera em nós sonhos e visões. Somente em ambientes e corações impregnados de graça e fé é que os desafios são superados pela força de sonhos e profecias.

Quando tudo parece caminhar em direção oposta, quando nossas vidas são sacudidas por terremotos existenciais, quando somos assolados por todas as formas de adversidades é que surge a promessa da presença plena de Deus. Creia! Não importa se sonhar lhe pareça impossível. Milhares de haitianos devem ter o sentimento que tudo acabou, porém outros estão se alimentando da fé e coragem. Deus vai reconstruir, vai trazer um tempo novo! Assim ele fez em outras ocasiões, assim ele fará com todo aquele ou aquela que invocar o seu nome.

De um aprendiz de sonhador,
Marcello Fraga

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.