IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 11/6/2012
 

O Jesus Incompreendido

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 


Mateus 28.16-20


Jesus era seguido pela multidão. Viam a Graça, o Poder e o Amor de Deus em sua vida. A multidão o cercava Jesus e os apóstolos "de tal modo que nem podiam comer". Mas o ministério de Jesus também causou incompreensões. Sua família não compreendia seus dons e os líderes de sua religião, por inveja ou por engano, também afirmavam não compreender a ação de Deus na vida do Senhor Jesus. Neste roteiro veremos a resposta de Jesus para sua família e para sua religião. O Senhor nos mostrará caminhos para o nosso próprio crescimento em amor e relacionamento com Ele.

I. Jesus é Incompreendido pela família (21)
A Nova Tradução na Linguagem de Hoje diz: "Os parentes de Jesus souberam disso e foram buscá-lo porque algumas pessoas estavam dizendo que ele estava louco". A princípio, parece uma ação para proteger o irmão e filho. Como as pessoas diziam que Jesus estava louco, a família foi para guardá-lo, recolhe-lo, protegê-lo. A família vai ao encontro do Senhor para retirá-lo do ministério. Levada pela opinião dos outros, a família não consegue compreender e discernir o ministério do Senhor Jesus. Ele foi incompreendido pela própria família. Muitas vezes os inimigos são os da própria casa (Mt 10.36). Eles queriam prender Jesus. Impedir de Jesus pregar a Palavra de Deus. Precisamos muito avaliar o que ouvimos. Nossa primeira atitude deve ser de amar e tentar compreender a posição do outro; se colocar no lugar do outro.

II. A Resposta de Jesus a família (31-35)
Como a família acreditou que Jesus estava fora de si e queria prende-lo, foram buscá-lo para colocá-lo num "cárcere privado". Eles chegaram (sua mãe e seus irmãos) e, tendo ficado do lado de fora, mandaram chamá-lo. Acreditamos que Maria não estava ali para prende-lo, mas para protegê-lo (protegê-lo dos outros e dos próprios irmãos). Outros acreditam que Maria também poderia estar achando que Jesus estava fora de si. As pessoas que estavam assentadas ao redor dele lhe disseram: Olha, tua mãe, teus irmãos e irmãs estão lá fora à tua procura. A resposta de Jesus precisa ser compreendida neste contexto (seus irmãos foram para prendê-lo): v.33 Então, ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? v.34 E, correndo o olhar pelos que estavam assentados ao redor, disse: Eis minha mãe e meus irmãos. v. 35 Portanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe. Jesus não atende sua família. Sabia que seria preso. Eles também estavam pensando que Jesus era louco. A verdadeira família de Jesus não é aquela que deseja impedir seu ministério. A legítima família de Jesus é formada pelas pessoas que fazem a vontade de Deus. Pela graça de Deus, a família de Jesus, após a ressurreição, entende o Senhor e são abençoados com a Graça do Pentecostes (Atos 1.14). Se a relação com Jesus não está baseada aos próprios laços familiares, nunca estará baseada na denominação eclesiástica que a gente pertence. Nossa relação com o Senhor está unicamente alicerçada na relação direta que temos com a Vontade do Pai.

III. Jesus é Incompreendido por sua religião (22)
A religião de Jesus (o Judaísmo) também não o compreendia. Os escribas, que haviam descido de Jerusalém, diziam: Ele está possesso de Belzebu. É pelo maioral dos demônios que expele os demônios. Por ignorância ou por inveja, os religiosos viam a libertação dos demônios como uma ação do próprio chefe dos demônios. Jesus cheio do Espírito Santo realizava a vontade do Pai e os fiéis religiosos creditavam sua ação aos demônios. Nem sempre a Religião usará de critérios para nos avaliar. Praticamos a vontade de Deus e amamos nossa igreja, mas esperamos somente no Senhor a plena compreensão e não podemos nos escandalizar quando setores da igreja se levantarem contra a vontade do próprio Deus.

IV. A Resposta de Jesus a Religião (23-30)
Jesus convoca os Escribas e conta uma parábola afirmando: "Como pode Satanás expelir a Satanás? Jesus afirma que as trevas nunca atacarão as trevas. Há unidade na ação de Satanás. É certo que nem sempre há unidade em nossas ações, mas o inimigo sempre atacará em unidade perfeita com os seus propósitos. Jesus diz que para roubar o valente, precisa primeiro amarra-lo. O inimigo não iria amarrar a si próprio permitindo ser derrotado. Jesus afirma que era o Espírito Santo que estava operando em sua vida e não Belzebu. Eles blasfemaram contra o Espírito Santo, e não há perdão para quem blasfemar contra o Espírito Santo. Jesus disse isso porque eles falaram: "Está possesso de um espírito imundo". Os religiosos estavam fechando a porta da Graça negando a ação do Espírito da Graça. Esta é a resposta de Jesus a sua religião representada naqueles Escribas. Nem todos os judeus pensavam como os Escribas, mas esta ação gerou maldição e cancelamento da graça de Deus sobre aqueles homens. Decidiram permanecer no pecado e surdos para a mensagem de Jesus.

Conclusão:
Li uma frase interessante: "A Vontade de Deus nunca irá levá-lo onde a Graça de Deus não possa protegê-lo." Mesmo que não venhamos compreender a vontade de Deus, devemos buscar discernimento e esperar no Senhor antes de construir qualquer posição. Pois poderemos estar nos levantado contra o próprio Deus. Nós, como discípulos e discípulas, também poderemos ser incompreendidos, mesmo andando em santidade e temor de Deus. Wesley foi incompreendido pelos seus amigos e religiosos. Muitos homens e mulheres de fé não foram compreendidos. Mas não pararam. Mesmo diante da incompreensão, não pare de ser o que Deus deseja que você seja. Avante em Nome de Jesus.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.