IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 16/6/2012
 

O Reino de Deus e as Parábolas da Semente

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 


Marcos 4.26-34

Numa montanha na ilha de Svalbard, na Noruega, foi construído em 2008 o Cofre de Sementes Global. O objetivo é armazenar sementes para que as espécies não sejam perdidas se algum desastre nuclear acontecer. Este cofre já possui 500 mil tipos de sementes. Todo este sacrifício é porque elas são importantes para a sobrevivência da raça humana. Jesus usa a figura da semente para falar sobre o Reino de Deus. A semente possui toda a estrutura da planta. Ela contém um suco a partir do qual a planta crescerá quando encontrar as condições desejadas. Também contém um suprimento de reserva que servirão para o primeiro estágio de desenvolvimento da planta, depois da formação completa dos órgãos responsáveis pela alimentação. A semente é um milagre de Deus. Por isso o Senhor Jesus usa este símbolo para falar do Reino.

I. O Reino de Deus representado por parábolas
Jesus usava as parábolas para falar assuntos espirituais de forma natural e de fácil discernimento para seus ouvintes. Ele usava situações da vida para revelar os mistérios da fé. Trabalhava com comparações. Dizia: "O reino de Deus é assim" (26). Procurava na vida cotidiana semelhanças para trabalhar suas parábolas: "A que assemelharemos o reino de Deus? Ou com que parábola o apresentaremos?" (30).
Expunha suas palavras de acordo com a capacidade dos ouvintes: "E com muitas parábolas semelhantes lhes expunha a palavra, conforme o permitia a capacidade dos ouvintes" (33). Jesus não falava sem parábola, pois elas eram símbolos materiais e vivenciais do cotidiano que significavam realidades espirituais. O texto diz que "sem parábolas não lhes falava; tudo, porém, explicava em particular aos seus próprios discípulos" (34). As parábolas necessitavam ser explicadas para uma compreensão fiel. Elas revelavam os mistérios de Deus e também escondiam enigmas. (Mt 13.10-13; Mc 4.10; Sl 768.2; Pv 1.6; Ex 20.49).
Jesus explicava em particular aos seus discípulos. O/a Discípulo/a aprende coisas que outra pessoa não tem condições de aprender. Somente quando nos colocamos como discípulos e discípulas de Jesus, temos oportunidade de crescer no conhecimento da verdade de Deus sobre seu Reino.

II. O Reino de Deus e o crescimento milagroso da semente (26-29)
Jesus diz que o Reino de Deus é "como se um homem lançasse a semente em terra, depois, dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como. A terra por si mesma frutifica: primeiro a erva, depois, a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. E, quando o fruto já está maduro, logo se lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa". Qual criança nunca tentou ver o crescimento de uma planta? A planta cresce e a gente não percebe. É tão devagar que não percebemos os movimentos do crescimento. É uma ação de Deus sobre a natureza. O Reino de Deus na terra sofre um crescimento contínuo independente do movimento. Muitas vezes desejamos associar movimento ao crescimento. Mas o crescimento é obra de Deus independente do movimento, do barulho, das manifestações externas. Deus dá o crescimento e prepara a plantação para a ceifa. O Reino de Deus tem crescido sem parar. Nossa função é semear, cuidar e esperar a ação de Deus. Jesus está dizendo: Não se preocupe! O Reino sempre crescerá por uma ação de Deus. Atos 5.14; 6.7; 9.31; 12.24; 19.20.

III. O Reino de Deus e a Semente da Mostarda (31-32)
O grão de mostarda tem em média 2 mm de diâmetro. Do tamanho de uma cabeça de alfinete. Quando plantado, leva 3 a 10 dias para germinar sob condições próprias. Jesus diz que "quando semeado, é a menor de todas as sementes sobre a terra; mas, uma vez semeada, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças e deita grandes ramos, a ponto de as aves do céu poderem aninhar-se à sua sombra".
O Reino é pequeno e aparentemente insignificante diante da estrutura social existente no mundo. Ele é considerado dispensável, medíocre e ultrapassado. Mas o Reino cresce e no final julgará o mundo e destruirá as forças das trevas. Não podemos desprezar a aparência pequena e frágil do Reino de Deus, pois ele tem o poder de crescer e trazer juízo e justiça sobre o mundo. É melhor ficar com o Reino de Deus, fraco e humilde, do que ficar com o reino do Mundo que será dissolvido e destruído no juízo de Deus. Jesus está dizendo: Não fique humilhado com o tamanho tão pequeno e insignificante do Reino de Deus. Ele está crescendo e será maior do que todos os sistemas do mundo. No final o Reino de Deus triunfará. Is 2.11. Este também deve ser o nosso caminho: a humildade (Tg 4.10; I Pe 5.6).

Conclusão:
O Reino de Deus é do Senhor. Ele não é uma estrutura humana ou religiosa. Jesus não estabeleceu uma religião. Ele estabeleceu seu Reino. Este Reino cresce na vida dos discípulos e discípulas do Senhor. Ele transforma o mundo. Ele virá no último dia e será finalmente estabelecido na destruição do mundo quando o Senhor fará novo Céu e nova Terra. Nossa missão é perseverar no Reino e anunciar o Reino.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.