IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 11/8/2012
 

A F no Po Vivo que Desceu do Cu

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 


João 6.41-51

Nossa salvação está na fé que temos no Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo. Muitas pessoas criam desculpas para não crer. Mas crer não é uma mera ação humana. Cremos por causa da ação direta do Pai. Quando cremos alcançamos a vida eterna. Estas são as bases que iremos trabalhar no Evangelho de João 6.41-51.

I. Desculpas para não crer
As pessoas sempre apresentam desculpas para não crer em Jesus como Senhor e Salvador. Os Judeus de Cafarnaum tiveram dificuldade em crer por causa da história familiar do Senhor Jesus. O versículos 41,42 dizem: "Murmuravam, pois, dele os judeus, porque dissera: Eu sou o pão que desceu do céu. E diziam: Não é este Jesus, o filho de José? Acaso, não lhe conhecemos o pai e a mãe? Como, pois, agora diz: Desci do céu?"
Os judeus construíram o seguinte argumento contra Jesus: - Como ele pode ser o pão que desceu do céu se nós conhecemos seu pai e a sua mãe? O argumento dos judeus era coerente, mas eles desconheciam o mistério do seu nascimento virginal. Desconheciam a totalidade da história de Cristo e criaram argumentos (desculpas) para não crer. A incredulidade nos leva para a morte eterna (Ap 21.8).
Quando não cremos, construímos desculpas, e quando desconhecemos, não cremos.

II. Cremos em Jesus por uma ação do Pai
Nós cremos em Jesus Cristo por causa da ação do Pai. Jesus é muito claro ao dizer: "Não murmureis entre vós. Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim"(João 6.43-45).
Foi o Pai que enviou seu Filho unigênito ao mundo (Jo 3.16). Foi o Pai que Deu seu Filho para a nossa redenção. Foi o Espírito Santo que nos convenceu do pecado e nos levou ao Salvador Jesus. Fomos a Jesus por uma ação direta do Pai (I Jo 5.11,20). Como também, fomos ao Pai pelo Filho (Jo 14.6). A nossa salvação é uma ação perfeita da Santíssima Trindade.

III. A Vida Eterna daquele que crê
Crer no Senhor Jesus não é mais uma opção. É o único caminho para alcançarmos Vida Eterna: "Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna" (47).
Ele é o único alimento que nos dá vida espiritual: "Eu sou o pão da vida" (48).
Jesus não pode ser comparado a nenhuma experiência religiosa. Ele está acima do maná que Deus alimentou o povo no deserto. Jesus diz: "Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram" (49).
Jesus como o verdadeiro maná, o verdadeiro pão de Deus, "desce do céu para que todo o que dele comer não pereça" (50).
Somente uma relação de fé com o Senhor Jesus que transforma todas as áreas da vida pode resultar em vida eterna. "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne" (51).
Comer da carne de Jesus aponta para uma relação de vida espiritual e para o simbolismo sagrado da Santa Ceia. A vida eterna é somente daquele que crê em Jesus e vive seus ensinamentos em justiça, vida e santidade (João 3.36).

Conclusão:
Nossa alegria está em crer em Jesus. Fomos auxiliados pelo Pai e encontramos o Filho. O Filho nos introduziu na Vida da Santíssima Trindade e pela fé somos salvos para a vida de santidade, justiça, misericórdia, perdão e transformação da sociedade através do Santo Evangelho (Rm 6.22). Nossa tarefa é continuar crendo no Senhor e alimentado esta fé na vida em comunidade e no sacramento do seu Corpo e Sangue. Com Jesus temos Vida Eterna.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.