IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 15/9/2012
 

Discipulado, Renúncia e Sofrimento

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

Mc 8.27-35
Jesus deseja saber o que os homens dizem a seu repeito. Mais ainda, deseja saber a opinião de seus discípulos sobre sua pessoa. É neste momento que Pedro é usado por Deus para chamar Jesus de Messias. Mas quando Jesus começa a falar do sofrimento e da cruz, Pedro é usado pelo diabo para reprovar a obra de Cristo. Cristo nos ensina que o verdadeiro discipulado exige renuncia e sofrimento. Estes são os temas que o Evangelho de hoje irá tratar.

I. O que dizem os homens a respeito de Jesus? (27,28).
Jesus pregou, curou, ensinou, expulsou demônios e agora deseja saber a avaliação dos homens com relação a sua pessoa.
Eles fazem uma avaliação muito positiva comparando Jesus com grandes homens, contudo Jesus é mais do que isso.
As pessoas precisam saber a verdadeira identidade de Jesus, como Filho de Deus e Messias. Jesus é o fundamento da nossa fé. (I Co 3.11).

II. O que os discípulos dizem sobre Jesus?(29)
29 Então, lhes perguntou: Mas vós, quem dizeis que eu sou?
Eles andavam com Jesus, tinham intimidade, mas precisavam afirmar a fé correta sobre Jesus.
Não basta crer em Jesus, precisamos crer da forma correta. Ef 4.14.

III. A revelação de Deus para Pedro (29,30)
Pedro teve a revelação do Espírito Santo (Mt 16.17).
Jesus não era um profeta, era o próprio Cristo. Cristo significa ungido, enviado por Deus, Messias.
Jesus era exatamente aquele que o povo de Israel esperou por tantos anos.
Ele é o Cristo que tira o pecado do mundo. Mas Pedro, para fazer esta afirmação, necessitou da revelação de Deus. Só compreendemos Jesus mediante a revelação do Pai.

IV. O sofrimento que Jesus deveria passar (31,32).
Jesus falava claramente que deveria sofrer, ser rejeitado, morto e ressuscitado. Estava no roteiro do Pai para sua vida.
O sofrimento viria como a plena vontade do Pai. Todo sofrimento de Jesus não foi sem propósito. É desta forma que devemos encarar o sofrimento (Cl 1.24).
Ele orientava claramente que o sofrimento não era o caminho final. A palavra final era a ressurreição.

V. Satanás tenta negar o sofrimento de Jesus. (32-33)
A ação de satanás sempre será se opor a Deus e aos seus servos (Zc 3.1).
Satanás tenta negar o sofrimento de Jesus. O Senhor repreendeu a Pedro e disse: Arreda Satanás! No mesmo instante que Pedro é usado pelo Espírito Santo, ele se deixa usar pelo diabo.
O diabo em Pedro, tenta negar o caminho da cruz e da ressurreição do Senhor.

VI. O discipulado exige cruz e sofrimento (34-35)
O discipulado verdadeiro exige cruz e sofrimento. Exige seguir Jesus e negar a si mesmo.
Exige perder a vida por causa de Cristo e do Evangelho. Quem perder a vida a salvará (Rm 8.18).

Conclusão:
Desejamos ser discípulos completos? Qual a avaliação que fazemos de Jesus? Ele é o Cristo para a nossa vida? Estamos desejosos de perder a vida por Cristo e pelo Evangelho?
Tudo que fazemos por Cristo é recompensador. Seguimos Cristo pelo amor, não pelos sinais. Não desejamos ser as pessoas da multidão que seguiam Jesus por causa do Pão.
Desejamos ser discípulos que na intimidade do amor, persistem em seguir o Mestre. (Pastor Edson Cortasio Sardinha).

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.