IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 30/12/2012
 

O Menino Jesus no Templo

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 


Lc 2.41-52
A família de Jesus é um modelo de vida espiritual. É conhecida como sagrada família, pois foi dirigida por Deus para acompanhar o crescimento de Jesus e ser suporte de acolhimento, educação e manutenção de seu ministério. Tudo indica que José morreu antes de Jesus iniciar sua missão. José e Maria tiveram outros filhos que, após a ressurreição, foram fiéis seguidores de Jesus Cristo (At 1.14; Jo 2.12,7.3,5; Lc 8.20; Mc 3.31,32; Mt 13.55). O Evangelho de hoje relata a ida de Jesus ao Templo, sua sabedoria diante dos religiosos, a preocupação de Maria e José e o seu crescimento na casa de Nazaré.

I. José e Maria comprometidos com a vida Espiritual
José e Maria eram judeus e guardavam os Mandamentos, Ritos e Festas do Judaísmo. Tinha a tradição das três orações diárias e as observações normais de uma família judia. Jesus foi educado indo a sinagoga aos sábados e anualmente visitando o Templo Sagrado de Jerusalém no período da Páscoa (41). Ele aprendeu a ler e escrever através da Bíblia. Os pais de Jesus eram zelosos em tudo. Circuncidaram Jesus ( Lc 2.21); levaram-no ao templo para apresenta-lo ao Senhor e consagra-lo como primogênito (Lc 2.22,23). Fizeram o sacrifício segundo a lei (Lc 2.24). Lucas diz que (42) "Quando ele atingiu os doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume da festa". Esta passagem bíblica parece dizer a respeito ao bar mitzvah de Jesus. No judaísmo o ingresso do menino para a vida adulta é marcado por uma cerimônia religiosa chamada de bar mitzvah, uma expressão aramaica que significa "filho do mandamento". Esta cerimônia religiosa é a "maioridade" do judeu, em que o menino faz pela primeira vez a leitura pública da Torah (Lei de Moisés) na sinagoga, depois o rabino dirige-lhe a palavra e invoca a benção de Deus sobre ele com as palavras de Deuteronômio 6.24-26. Por isso encontramos Jesus discutindo com os doutores da Lei, falando e interrogando sobre a palavra de Deus. José e Maria eram comprometidos com a vida espiritual. São modelos para a nossa vida. Precisamos conhecer as atividades espirituais de nossa igreja e participar em família. Os cultos, a Escola Dominical, o Pequeno Grupo (célula, discipulado), as Jornadas de Oração, o Culto doméstico, os ministérios e grupos societários, os sacramentos, etc., precisam fazer parte da vida de nossa família.
II. A procura pelo menino Jesus
Jerusalém tinha muita gente na época da páscoa. A viagem era feita em caravanas de famílias e amigos. De Nazaré saiu uma grande caravana à Jerusalém. Por isso todos regressaram e não perceberam que Jesus havia permanecido no Templo: (43) "Terminados os dias da festa, ao regressarem, permaneceu o menino Jesus em Jerusalém, sem que seus pais o soubessem". José e Maria pensava que Jesus estava (44) "... entre os companheiros de viagem, foram caminho de um dia e, então, passaram a procurá-lo entre os parentes e os conhecidos; (45) e, não o tendo encontrado, voltaram a Jerusalém à sua procura". Observe o desespero de Maria e José. Retornam a Jerusalém depois de um dia de viagem e o procuraram durante três dias. José e Maria confiaram de que tudo estava bem e que o menino Jesus estava naturalmente na caravana. Mas não sabiam da plano de Deus. Era vontade de Deus que Jesus ficasse um pouco mais em Jerusalém para manifestar sua sabedoria aos doutores da lei. Nem sempre sabemos os planos de Deus. Mas, mesmo diante de situações difíceis e inexplicáveis, devemos continuar confiando no Senhor. Seus caminhos são maiores do que nossos caminhos ( Isaías 55.9). A Célula é espaço de consolo. Não criticamos as pessoas. Acolhemos em amor e consolo. O plano de salvação de Deus é transmitido com amor.
III. A Sabedoria do Adolescente Jesus
Jesus ficou no Templo. Só foi encontrado três dias depois. Estava (46) "...assentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os". Como tinha apenas 12 anos de idade, (47) "...todos os que o ouviam muito se admiravam da sua inteligência e das suas respostas". Jesus sendo o Deus encarnado, inicia ainda que precocemente, o ministério do ensino das Sagradas Escrituras. Os doutores conheciam as Escrituras por que as estudavam, o menino Jesus por sua vez, conhecia a Escrituras porque foi o próprio inspirador dos seus escritores. Ele é o Deus filho, o inspirador e autor da Palavra de Deus. José e Maria ficaram espantados com a atuação de Jesus. Maria toma a palavra e diz: (48) "Filho, por que fizeste assim conosco? Teu pai e eu, aflitos, estamos à tua procura". Maria expressa o desespero de mãe. Mas Jesus já tinha total discernimento de sua existência. Sabia perfeitamente que era o Deus encarnado. (49) "Ele lhes respondeu: Por que me procuráveis? Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu Pai?" José e Maria não compreenderam estas palavras (50). Mas (51) "sua mãe, guardava todas estas coisas no coração". Muitas vezes não compreendemos tudo. Devemos aprender com Maria a guardar a Palavra no coração. Um dia teremos discernimento sobre as situações que passamos e as Palavras de Deus que ouvimos. Jesus, com sua sabedoria, tem o poder de nos guiar em conduzir em vitórias. Precisamos apenas confiar em sua sabedoria (Pv 2.6).
Conclusão: Maria e José receberam de Deus uma tarefa muito difícil e gratificante. Foram a Sagrada família para acompanhar Jesus em seu crescimento. Com esta família espiritual e zelosa, (52) "crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens". Que nossa família seja espiritual e zelosa nas coisas de Deus. Precisamos buscar em primeiro lugar o Reino de Deus assim como José e Maria fizeram e termos uma família abençoada integralmente.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.