IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Palavra Pastoral
Rio, 1/6/2013
 

O Exemplo do Centurião

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

Lucas 7.1-10

Hoje o Evangelho nos apresenta um homem gentio com bondade, humildade e profunda fé. Ele se tornou exemplo para todos nós.

I. A Bondade do Centurião
O centurião na hierarquia militar romana era o sexto na cadeia de comando numa legião. Era o oficial responsável por comandar uma centúria (80 legionários). Era o capitão da Centúria. Por ser romano e centurião, o comum era que fosse odiado pelos judeus da palestina. Mas este centurião era diferente. Demostrou sua bondade na preocupação com seu escravo e também na construção da sinagoga dos judeus de Cafarnaum. Os judeus reconheciam sua bondade. Descobrir o caminho da bondade é uma graça de Deus. O/a discípulo/a precisa ser um semeador/a de bondade no seu cotidiano (Cl 3.12)

II. A Humildade do Centurião
O Cargo de Centurião era muito reconhecido pela sociedade. Apesar do status de sua posição, este centurião apresenta-se a Jesus com profunda humildade. Os judeus o reconheciam como homem digno. Mas quando o Senhor Jesus se aproxima de sua casa, (6) “o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. (7 ) Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo...” Quem se humilha é exaltado. (Tiago 4.10). A humildade precisa ser a característica do cristão.

III. A Fé do Centurião
O Centurião se sente indigno do contato com a santidade do Senhor Jesus. Era um homem que sabia respeitar autoridade e entendia que a autoridade de Jesus era tão grande que não podia estar em sua presença. Mas demonstra uma grande fé. Ele diz (7): “porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado”. Ele acreditava que uma palavra de Jesus bastava devido o poder da autoridade. Cita seu próprio exemplo de autoridade: (8 A fé deste homem “surpreendeu” Jesus e o levou a admiração: (9) “ Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta”.

Conclusão: O Centurião era um homem bom, humilde e com muita fé na autoridade do Senhor Jesus. Que possamos, como discípulos e discípulas, ser bondosos, humildes e cheios de fé na graça, poder e misericórdia do Senhor Jesus.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.