IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Reflexões
Rio, 11/10/2014
 

A Oração que Francisco de Assis nunca fez

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

Com certeza você conhece a famosa oração de São Francisco de Assis: 

            Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, Fazei que eu procure mais Consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Francisco de Assis foi um cristão italiano do século XIII. Aceitou a Jesus como Senhor e Salvador com 20 anos de idade através de uma grave enfermidade. Ao conhecer o Evangelho de Jesus, ficou apaixonado e passou a ter o Evangelho como regra de vida. Este Evangelho estava na língua francesa e provavelmente lhe foi dado na prisão da Perúsia por um “herege” Valdense, servo de Deus.

Por causa do Evangelho, Francisco abriu mão dos bens da família e seguiu livre pelo mundo, evangelizando. Não desejou fazer discípulos, mas os discípulos apareceram pelo seu exemplo de homem apaixonado pelo Senhor Jesus. Em um ano reuniu doze discípulos e conseguiu, em Roma, a autorização do Papa Inocêncio III para seguir seu caminho de fé sem ser acusado ou perseguido como herege. 

Francisco, como servo de Deus, foi um instrumento da paz de Deus. Onde havia ódio, ele levava a paz. Um exemplo foi sua tentativa de reconciliar os mulçumanos e cristãos no período das Cruzadas. No Egito tentou evangelizar o sultão Al-Kamil. 

Existiam muitas ofensas dos dois lados e ele tentou levar o perdão. Reinava a discórdia e ele tentou levar a união. 

Através de sua vida evangélica, onde havia dúvida com relação a Deus e a Igreja, ele levou a fé. Onde havia erro, pregou a verdade através de sua vida. 

No meio de tanta desesperança por causa da miséria e da lepra, ele levou esperança. Foi um menestrel de Deus levando alegria onde havia tristeza. 

Sua vida com Deus foi uma luz diante das trevas da própria Igreja. 

Foi tão louco por Deus que procurou mais consolar do que ser consolado, compreender do que ser compreendido, amar do que ser amado, deu mais do que recebeu, perdoou mais as pessoas do que correu atrás de perdão e morreu e hoje está em vida eterna. 

Isso tudo é verdade, contudo a Oração de São Francisco nunca foi escrita por ele. 

Ela é uma oração nova que surgiu no início do século XX e não estava relacionada aos franciscanos.

Um católico franciscano conheceu esta oração e vendo que ela representava o ideal de Francisco de Assis, colocou em um cartão com um desenho de Francisco com o seguinte título: Esta oração reflete o espírito franciscano. 

Assim também, muitas coisas que não estão relacionadas à Igreja Evangélica refletem o pensamento evangélico deixado por Jesus Cristo. Precisamos vencer nossos preconceitos e olhar os sinais de Deus na criação e no outro.

Deus te abençoe. Paz e Bem.

Nota:

Você pode ler mais textos evangélicos e reformados sobre Francisco de Assis acessando meu blog:

http://grupoevangelicofranciscano.blogspot.com.br/

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.