IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Discipulado
Rio, 25/10/2014
 

Um Discipulado e Dois Erros

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

O Discipulado ocorre em todas as áreas da Igreja. O discipulado sempre existiu na vida da Igreja. Não é algo novo. Está presente no trabalho de Jesus com os apóstolos; no trabalho dos apóstolos com a igreja; na igreja primitiva, patrística, medieval, reformada, contra-reformada, avivada, tradicional, etc. Sempre existiram discípulos e discípulas de Jesus vivendo o discipulado e fazendo discípulos e discípulas.

A contribuição de João Wesley e os metodistas do século XVIII foi maravilhosa. Trabalharam no estabelecimento de Pequenos Grupos que, do seu modo, gerou discípulos e discípulas para o Senhor Jesus. Do seu modo porque a visão de Wesley foi própria para o século XVIII, contudo os mesmos princípios aplicam a igreja moderna.

Existe um testemunho histórico do século XIX. ELLEN WHITE, fundadora do movimento Adventista (uma seita profética do século XIX) de origem Metodista, herdou do metodismo o trabalho do discipulado através dos Pequenos Grupos e testemunha a visão no século XIX. Observe seu testemunho e a visão que as igrejas, principalmente metodistas, possuíam em sua época: 

1. Para igrejas grandes:  “Se há na igreja grande número de membros, convém que se organizem em pequenos grupos a fim de trabalhar não somente pelos membros da própria igreja, mas também pelos incrédulos”. 

2. Para igrejas pequenas “Se num lugar houver apenas dois ou três que conheçam a verdade, organizem-se num grupo de obreiros”. 

3. Pequenos Grupos é Uma Força Missionária: “A apresentação de Cristo em família e em pequenas reuniões em casas particulares, é, muitas vezes mais bem sucedida em atrair almas para Jesus do que sermões ao ar livre, ou mesmo, em salões e igrejas”. 

4. Pequenos Grupos e o Fortalecimento Espiritual: “Nessas pequeninas reuniões, o próprio Cristo estará presente segundo prometeu e os corações serão tocados pela Sua graça”. 

5. Santificados pelo Espírito Santo “Que pequenos grupos se reúnam à noite e pela manhã para estudarem a Bíblia por eles mesmos. Que tenham períodos de oração. Que sejam fortalecidos, iluminados e santificados pelo Espírito Santo”. 

6. Cristo entrará nos corações “Que testemunho você teria do amorável relacionamento sentido entre os companheiros de trabalho neste precioso período enquanto buscam as benções de Deus. Que cada um conte suas experiências em palavras simples! Isso dará mais ânimo e gozo à alma do que qualquer instrumento musical que possa ser usado na igreja. Cristo entrará em vossos corações. Esse é o único meio pelo qual podeis manter vossa integridade”. 

7. Pequenos Grupos e o Reavivamento da Igreja “É para nosso prejuízo que nos privamos do privilégio de nos reunir uns com os outros para nos fortalecer e animar mutuamente ao serviço do Senhor... Perdemos muito em nossas relações como cristãos devido à falta de simpatia de uns para com os outros. Aquele que se fecha consigo mesmo não está preenchendo o lugar a que o Senhor o designou”. 

8. Um poder renovador e vitalizante  “Haja, em cada igreja, grupos organizados de obreiros para trabalhar nas vizinhanças da Igreja...Quando tais forças forem postas a operar em todas as nossas igrejas, haverá um poder renovador, reformador, vitalizante nas igrejas porque os membros estão fazendo exatamente o trabalho que Deus lhes determinou fazer”.  

Sabemos que o discipulado acontece não apenas no Pequeno Grupo, mas em todas as áreas da Igreja: ação social, CLAM, grupos societários, Ministérios e Escola Dominical. Mas com a “moda” do discipulado, dois erros tenho visto na relação Discipulado, Escola Dominical e Pequenos Grupos:

Primeiro erro: A desvalorização da Escola Dominical e sua substituição pelos Pequenos Grupos: Vejo uma estratégia maligna acabar com a Escola Dominical e trabalhar apenas com Pequenos Grupos. Infelizmente muitas igrejas no Brasil seguiram este caminho. Os Pequenos grupos não podem substituir a Escola Dominical. As revistas metodistas são preparadas seguindo um currículo sério elaborado por pessoas sérias. Visa a capacitação do discípulo e da discípula. Escola Dominical é lugar de capacitação e discipulado. É um espaço de valorização da Palavra de Deus. É a nossa sinagoga. Nosso lugar de encontro com o outro e com a Palavra de Deus. A Escola dominical é o espaço de estudar e construir o conhecimento pedagógico sobre nossas doutrinas, valores, Planos e tradições. A desvalorização da Escola Dominical deve ser enfrentada com muito rigor. Nossas Escolas Dominicais precisam se fortalecer,... crescerem. É um centro de capacitação. Forma discípulos e discípulas. É uma das bases de nossa espiritualidade.

Segundo erro: A desvalorização dos Pequenos Grupos e sua substituição pela Escola Dominical:  Vejo uma estratégia paralisante afirmar que a Escola Dominical é um Pequeno Grupo que substitui o programa Nacional de Discipulado. O Pequeno Grupo não é para a capacitação do Discípulo. Não é lugar para o estudo sistematizado da Palavra. Esta tarefa é da Escola Dominical. Como pedagogo, vejo os pequenos grupos limitados a uma única missão: Pastoreio mútuo e crescimento de novos discípulos e discípulas (expansão missionária). Observe o texto do movimento de Pequenos Grupos do século XIX. 

O discipulado através dos pequenos grupos acontecem nas casas (escritórios, jardins, fábricas, etc) e visa o pastoreio mútuo e a evangelização através da graça de Deus na geração de novos discípulos e discípulas. Reunir a Escola Dominical em torno da Revista e falar que esta prática é um Pequeno Grupo de discipulado segundo o Programa Nacional da igreja é desprestigiar a nossa querida Escola Dominical e também os Pequenos Grupos. A Escola Dominical é centro de crescimento na Palavra de Deus e capacitação do Discipulado e discípula para a Missão. O Pequeno Grupo é espaço de convivência nas casas, gerando pastoreio mútuo e acréscimo de novos membros.

Nossas igrejas tem muitos líderes bons e preparados. Cada líder pode abrir um pequeno grupo em sua própria casa e testemunhar do que Deus fez e faz em sua vida. Este é o programa. Sei que tem pessoas que desprezam a palavra “Programa”, mas esta palavra poderá ser substituída por outra qualquer, o importante é o discipulado acontecendo em todas as áreas da igreja e a igreja local estabelecendo muitos pequenos Grupos metodistas espalhando a Santidade de Deus pela terra. 

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.