IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Testemunho
Rio, 7/8/2015
 

Meus irmãos e amigos de Jerusalém

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

Salmo 122.6-8 diz: Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam. Reine paz dentro de teus muros e prosperidade nos teus palácios. Por amor dos meus irmãos e amigos, eu peço: haja paz em ti! Por amor da Casa do SENHOR, nosso Deus, buscarei o teu bem.”

No mês de julho de 2015, em nosso Retiro pela Terra Santa, eu e Marisa aproveitamos os dias que ficamos hospedados em Jerusalém para conhecer nossos irmãos e amigos cristãos.  Passeávamos a noite a também aproveitamos o último dia que era livre para as compras.

Numa noite, um amigo católico da Comunidade Obra de Maria, Padre Carlos, veio nos buscar no hotel para comermos uma pizza. Eu o conheço desde 2011. É uma pessoa muito querida que reside em Jerusalém mais de 10 anos. 

Um dia, passeando próximo ao Santo Sepulcro, encontramos umas 14 freiras jovens e muito bonitas andando em fila. Eram residentes e com um vestido branco com uma cruz vermelha. Pareciam as enfermeiras do passado. Depois descobrimos que eram russas e moravam na Igreja de Santo Alexandre Nevsky. Estivemos visitando estes irmãos. Esta igreja russa fica próximo da Igreja do Santo Sepulcro. Durante a construção da Igreja, encontraram um resto de uma porta que pensaram que fosse a Porta do Juízo; porta através da qual Jesus passou em seu caminho para o Gólgota. A atual igreja foi construída sobre estes restos, e também incorpora parte da muralha da cidade de Herodes, e vestígios do templo pagão erguido por Adriano após a destruição de Jerusalém em 70 dC. É uma igreja ortodoxa muito limpa e bonita. Fomos acolhidos pelas sorridentes freiras. Uma tinha apenas 20 anos. Um seminarista da Romênia nos recebeu com muita alegria e conseguiu conversar em Português. 

Tivemos também a alegria de visitar a Igreja Copta. Esta igreja está localizada na Via Dolorosa. É de origem egípcia. Lá vimos um cartaz com a foto dos mártires coptas que foram mortos pelo Estado Islâmico. Um simpático padre nos acolheu com muito carinho e permitiu que fossemos conhecer a cisterna de Santa Helena, um lugar sombrio e frio que fica abaixo da igreja, uns oito metros. Esta igreja chama-se Igreja Ortodoxa Copta de Santa Helena.  A cisterna subterrânea é do século IV. Foi descoberta pela mãe de Constantino, Imperatriz Helena, e fornece água para a Igreja do Santo Sepulcro. 

Assistimos também ao culto anglicano na linda Catedral de São George. A construção do edifício da Igreja Catedral de St George foi iniciada em 1891 sob a orientação do Bispo Blyth, o quarto bispo anglicano em Jerusalém. A catedral foi consagrada pelo Bispo de Salisbury, em 1898. Hoje, junto com a Igreja Catedral de St George, o local abriga a residência do Bispo, os escritórios diocesanos, e Faculdade de St George, um centro de educação residencial que oferece cursos sobre a Terra Santa para leigos e clérigos iguais. Fomos muito bem acolhidos pelo pastor e pelo Bispo. No culto dominical havia apenas 5 pessoas (4 homens e uma mulher). Esta igreja é cercada por jardins lindos. Um maravilhoso lugar de contemplação e espiritualidade. 

Visitamos, como sempre, a Igreja Ortodoxa e Católica do Santo Sepulcro. Neste lugar fomos até a parte latina e ficamos apreciando a beleza da igreja. A história do Santo Sepulcro é interessante. Em 326, a mãe de Constantino, Helena, visitou Jerusalém com o objetivo de procurar os locais associados aos últimos dias de Jesus. Em Jerusalém, ela identificou o local da crucificação (o rochedo chamado Gólgota) e a tumba próxima conhecida como Anastasis ("ressurreição", em grego). O imperador decidiu então construir um santuário apropriado no local, a Igreja do Santo Sepulcro, no lugar do templo de, Adriano dedicado a Venus. 

Tivemos também a curiosidade de passar na igreja e nas casas dos pobres Cristãos Etíopes. A comunidade, imbuída do espírito monástico, está presente em Jerusalém desde o século IV, contemporânea com a chegada de  Jerônimo. 
Em 1283 eles tiveram seu primeiro bispo, uma indicação dos importantes direitos de que gozavam na Igreja do Santo Sepulcro, durante todo o período medieval, direitos que, no entanto, foram perdidos durante a era otomana. Foram expulsos do Santo Sepulcro e moram ao lado em uma pequena e escura igreja. Hoje há uma pequena comunidade de monges que vive na pobreza em células no telhado acima da capela de Santa Helena, um complexo do mosteiro que eles chamam de Deir es Sultan ("do Sultão"). Eles defenderam o cristianismo em Jerusalém e hoje nem são convidados para as celebrações conjuntas no Santo Sepulcro. 

Tivemos também a alegria de visitar uma igrejinha na Sexta Estação da Via Dolorosa. Esta estação comemora o encontro lendário entre Jesus e Verônica. A localização foi identificada como o local do encontro, no século XIX. Em 1883, gregos católicos romanos compraram as ruínas do século XII, e construíram a Igreja do Santo Rosto e Santa Verônica, alegando que Verônica havia encontrado Jesus fora de sua própria casa, e que a casa que anteriormente tinha ficava neste local. A pequena igreja inclui alguns dos restos dos edifícios do século XII. O atual edifício é administrado pelas Irmãzinhas de Jesus. Encontramos estas simpáticas freiras pintando seus ícones em uma oficina ao lado da Igreja. 

Outra igreja maravilhosa para a oração e o descanso é a Igreja Luterana do Redentor. É uma propriedade da Fundação Evangélica Jerusalém, um dos três alicerces da Igreja Evangélica na Alemanha na Terra Santa. Foi construída entre 1893 e 1898 pelo arquiteto Paul Ferdinand Groth. A Igreja do Redentor abriga atualmente congregações luteranas que adoram em árabe, alemão, dinamarquês e Inglês. Ela também serve como a sede do Bispo da Igreja Evangélica Luterana na Jordânia e na Terra Santa. Foi construído sobre a terra dada ao rei William I da Prússia em 1869 pelo sultão Abdulaziz, do Império Otomano. É uma igreja linda, linda e muito silenciosa. Um espaço ideal para oração. 

Por fim, fomos à Igreja do Nazareno, em frente à Igreja Anglicana de São George, próxima ao Jardim do Túmulo. A Igreja do Nazareno pertence ao Metodismo Mundial. Lá encontramos um grupo de cristãos orientais (chineses, coreanos?) ensaiando um lindo louvor a Deus. Esta igreja teve início em 1921 entre a comunidade armênia que vivia em Jerusalém. A igreja mais tarde evoluiu para uma congregação de língua árabe e adoraram em árabe por várias décadas. Em 2008, a igreja mudou-se para um serviço de fala inglês, tornando-se disponível para pessoas de todas as partes da cidade, incluindo a comunidade internacional que trabalha em Jerusalém. 

Por causa dos nossos irmãos cristãos sofridos de Jerusalém eu digo: 

“Orai pela paz de Jerusalém! Sejam prósperos os que te amam. Reine paz dentro de teus muros e prosperidade nos teus palácios. Por amor dos meus irmãos e amigos, eu peço: haja paz em ti! Por amor da Casa do SENHOR, nosso Deus, buscarei o teu bem.”

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.