IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Epifania do Senhor
Rio, 28/1/2017
 

Viemos Adorar o Rei

Pr. Edson Cortasio Sardinha


 

Evangelho de Domingo – Ano A - Tema Litúrgico: Epifania do Senhor

Mateus 2.1-12

 

Epifania significa "manifestação" de Jesus como Filho de Deus. A comemoração da Epifania é mais antiga do que a do Natal. No início a Festa comemorava tanto o Natal de Cristo como os eventos relacionados com ele, bem como o seu batismo e o primeiro milagre de Caná.

Para mostrar a soberania do cristianismo, passou a ser celebrada justamente no dia 06 de janeiro, quando os pagãos comemoravam a manifestação dos deuses. 

A Festa da Epifania celebra três atos "epifânicos" (manifestação do Senhor): a adoração dos magos, o batismo do Senhor e o milagre de Caná.  

Nesta meditação bíblica queremos estudar a coragem, o erro e a adoração dos magos.

I. A coragem dos Magos

Os magos eram estudiosos das estrelas. Alguns acreditam que eram descendentes dos judeus que viveram na babilônia. 

Não eram nem três, nem eram reis. Eram apenas magos. 

Por revelação de Deus discerniram que o rei dos Judeus havia nascido na Palestina. Empreenderam uma arriscada viagem de quase dois anos. Deixaram família, trabalho, sociedade, cultura e foram ao encontro do Rei dos Judeus.   

O valor que damos ao Senhor Jesus estará manifestado em nossas atitudes e sacrifícios para com as coisas de Deus. Hoje se prega um cristianismo "light" que não exige desprendimento nem coragem. É um cristianismo de tradição, ritos, status e longe do projeto de Deus.

Somos convidados a demonstrar nossa fé através da seriedade e o envolvimento com o projeto do Senhor (Mt 19.21).

II. O Erro dos Magos

O texto diz que (1) "Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém".

Foram a Jerusalém porque achavam que o Rei dos Judeus deveria nascer na Cidade-Templo. Lá estaria o palácio do Grande Rei. De lá sairia o rei de Israel. 

É verdade que o Rei reinaria de Jerusalém e seu reino não teria fim. Mas o nascimento do Senhor, pelas escrituras, seria na pequena aldeia de Belém. 

Os magos erram o caminho, pois seguiram o pensamento normal da humanidade. Não conseguiram entender que o Rei nasceria humilde. 

As palavras dos Magos em Jerusalém causam alarme em Herodes (3). Herodes convoca (4) "todos os principais sacerdotes e escribas do povo" para saber onde o Cristo deveria nascer. Os líderes religiosos dizem que O Messias nasceria em Belém (5,6). Herodes envia os magos a Belém e pede para ser informado para que possa ir adora-lo com intenção de matá-lo. O erro dos magos causou a morte dos inocentes. 

Os magos erram o caminho. Os religiosos sabem onde Jesus nasceria, mas não vão adorá-lo. Herodes descobre onde o menino havia de nascer e deseja destruí-lo.

Precisamos conhecer a Palavra, nos direcionar segundo a Vontade de Deus e viver para adorar o Senhor.

Nossos erros como crentes pode destruir muitas coisas e prejudicar o avanço da obra de Deus (Mt 22.29). 

III. A Adoração dos Magos

Os magos finalmente seguem para Belém (9): "...eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, até que, chegando, parou sobre onde estava o menino".

A estrela que os guiava voltou a ser vista e (10) "alegraram-se com grande e intenso júbilo". Tiveram novamente a direção para adorar o menino Jesus. Sabiam que o encontro seria possível.

O texto diz que  (11) "Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra".

Adoraram Jesus prostrando-se e ofertando seus tesouros. A adoração não é apenas corporal ou litúrgica com cânticos e palavras, mas envolve todo o nosso ser, principalmente nossos recursos financeiros e bens. 

Quando servimos o próximo carente com os nossos bens, ofertas e dizimamos na Casa do Senhor, estamos sendo adoradores completos.

Verdadeiros adoradores adoram em espírito e em verdade. É uma adoração que envolve todas as dimensões da vida (Jo 4.23). 

Os magos adoraram com prostração e com tesouros. Somos convidados a adorar e servir ao Senhor de forma integral. 

Conclusão:

Este texto bíblico nos ajuda a desenvolver a coragem que os magos tiveram. Coragem de deixar tudo para adorar ao Senhor Jesus e viver para a sua glória.

Na caminhada da fé poderemos errar o caminho, mas sempre teremos a graça do Senhor, como a Estrela de Belém, que nos guiará ao caminho certo. Isso dependerá de nossa humildade diante da vida. 

Nossa adoração precisa ser materializada em atitudes concretas. Assim como os magos adoraram com Ouro, Incenso e Mirra, somos convidados a adorar com os nossos bens e com a totalidade da nossa vida, semeando justiça, paz e graça.

Oração Final:

Ó Deus, que pela Estrela manifestaste teu unigênito Filho a todos os povos da terra; guia-nos à tua presença, os que hoje te conhecemos pela fé; a fim de que desfrutemos de tua glória face a face; mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, que vive e reina contigo e com o Espírito Santo, um só Deus, agora e sempre. Amém. 

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.