IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902


Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Reflexões
Rio, 6/8/2017
 

Pais Semelhantes a Jesus

Pr. Lúcio de Sant Anna Ferreira


 

"Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.

         Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus e na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus cristo é Senhor, para glória de Deus Pai." Fp 2.5-11.

 

Os pais nos dias de hoje, se assemelham a quem? Cada época tem os seus próprios pensamentos, valores que influenciam a cultura e comportamentos diante da sociedade. É um tipo de consenso que cresce silenciosamente a cada dia e moralmente nos induz a um comportamento quase que involuntário, fazendo-nos aceitar pouco a pouco os mais novos valores apresentados pelo mundo que nos rodeia. Nos distanciando do padrão que Deus espera de nós. O apóstolo chega a chamar de o "curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência", Ef 2.1,2. As pressões do mundo, levam-nos a cultivar um estilo de vida, longe de Deus e dos seus propósitos para um homem pai de família, "Rogo-vos pois irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século...", Rm 12.1,2. O Senhor deixou para nós os instrumentos necessários para vencer toda influência que o mundo possa exercer sobre a nossa vida, Ef 5.8 "Pois outrora, éreis trevas, porém agora, sois luz no Senhor, andai como filhos da luz...".

          Esta passagem expressa os sentimentos de Jesus. Naquele momento, Jesus estava entre dois sentimentos humanos: orgulho e a humildade. Jesus podia se exaltar diante do povo; mas, não, Jesus escolheu se submeter, humilhar-se a um batismo, como sinal de arrependimento, purificação de pecados e de aliança com Deus. Jesus é exemplo de fidelidade, submissão ao Pai. Sendo levado ao extremo de suas forças, foi fiel até o fim.

          Hoje, há um sentimento, que induz aos homens, pais de família, a viverem para si mesmo, em oposição a atitude de Jesus, "... a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo". Os homens estão sendo influenciados a viver para si mesmo, não se importando com a responsabilidade, dada por Deus para liderar a família, como homem de Deus. O Senhor nos convoca a ter o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus. A humildade, a submissão e a obediência eram os sentimentos de Jesus do início ao fim do seu ministério, Jo 10.30 " Eu e meu pai somos um". Esse sentimento ocupa um lugar de pouco destaque no mundo. Hoje, muitos querem que prevaleça o seu próprio interesse, buscando o seu brilho pessoal, não observam a vontade de Deus para si. O seu sucesso pessoal torna-se mais importante que a própria família e até a obediência a Deus. Humildade, submissão e obediência estão fazendo muita falta, nas famílias, igreja e no mundo. Aprendi que um homem ao formar uma nova unidade familiar, casar-se, ele não vive mais para si mesmo, mais abre mão de si mesmo, para abençoar e proteger a sua família, esposa e seus filhos.

          O texto nos mostra, que Jesus abriu mão da sua própria vida em favor da humanidade, "a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo". O texto indica a entrega total de todo e qualquer direito que Jesus tinha como Filho de Deus. Esse ato é e sempre será uma lição de doação de Jesus, especialmente em nosso tempo, quando poucos abrem mão de seus direitos, em benefício de muitos. Pelo contrário, a maioria busca reivindicar direitos que nem sempre possuem. Será que a Bíblia mudou com o passar do tempo? Não é mais  responsabilidade dos pais serem colunas das suas famílias? Lembrem-se que responderemos diante de Deus, se por nossa omissão, não levarmos a nossa família aos pés do Senhor. Assumindo a forma de servo, Jesus caminhou no sentido oposto do mundo que Ele vivia. O pensamento da maioria das pessoas é a busca da satisfação e realização pessoal. Homens querem ser chefes de família, mais não querem ser servos das suas famílias. Parece que se tornou melhor ser servido e mandar do que se colocar como um instrumento de Deus em favor de sua família e dos outros.

          Até mesmo entre nós, nas igrejas, encontramos este sentimento infiltrado, destruindo as famílias e os planos de Deus para vida do homem e da sociedade. Jesus diz que devemos ser servos uns dos outros: Gl 5.13 "Porque vós, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede antes, servos uns dos outros, pelo amor". A medida que andamos em obediência e no poder de Deus, dedicando tempo para ler e obedecer a Sua Palavra, Ele nos dará forças para vivermos em conformidade com os valores de seu reino e não em acordo com o espírito desta época. A Bíblia é suficiente sobre Deus e sobre nós mesmos para indicar como devemos alinhar os nossos pensamentos e atitudes com a vontade de Deus.

          Quando Jesus foi convidado para cear na casa de um fariseu, ocupou-se em ensinar que devemos ser servos, sem se exaltar e sem querer conquistar os primeiros assentos. Esta tarefa é da competência de Deus. Cabe a Ele nos colocar no lugar que Ele quer. Verdadeiros homens, no padrão de Deus, se colocam como servos, em favor da família, da igreja e da sociedade, na expectativa de que Deus no devido tempo os exaltará. Devemos nos empenhar para que a nossa missão como pais se afirme com base no espírito de servos de Deus e dos outros.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.