IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902


Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Reflexões
Rio, 11/11/2017
 

"Eis o noivo! Saí ao seu encontro!" (Mateus 25: 1-13)

Pr. Edmar Leonardo da Silva


 

“Eis o noivo!” Frase nada típica em nossa cultura ocidental. Por aqui é a noiva que vem ao encontro do noivo, e há toda uma expectativa para sua chegada ao casamento. A porta se abre e  “Eis a noiva!” Celebra-se então, o casamento.

A parábola das dez virgens, está contida no último sermão de Jesus, o Sermão Profético, nos capítulos 24 e 25 do Evangelho de Mateus. Neste sermão, Jesus fala da destruição do Templo, do princípio de dores, da tribulação, da vinda do Fi-lho do Homem e conta outras três parábolas, além da das dez virgens: a da figueira, a do servo bom e do mau, culminando com o grande julgamento.

Aqui, no capitulo 25, as palavras de Jesus sobre dez virgens à espera do noivo, diz que cinco delas eram prudentes e as outras  cinco néscias. As dez saem de suas casas com lâmpadas acesas à base de azeite, que são candeias que tinham fun-ção especial nas procissões orientais que festeja-vam noivados.

O texto diz que o noivo estava demorando muito e isto fez com que as virgens tomadas de sono dormissem. Mas, à meia-noite, ouve-se o gri-to: “ Eis o noivo!” (v. 6) Então se levantaram todas aquelas virgens e prepararam as suas lâmpadas. As que tinham suas lâmpadas abastecidas e azeite de reserva nas vasilhas acompanharam o noivo para a festa. As néscias foram em busca de azeite para suas lâmpadas e se atrasaram. Quando chegaram ás portas da festa, foram recebidas e despedidas pelo próprio noivo:   “não vos conheço”(v.12a). Ele também lhes afirma que foi a falta de prudên-cia e vigilância que ocasionou a perda: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora”(12b).

Este sermão foi pregado por Jesus no Mon-te das Oliveiras. Jesus profetizava um futuro imi-nente e ao mesmo tempo distante. Ele falou bas-tante sobre os últimos dias. Ele estava preparando seus discípulos para dias difíceis e também para a eternidade. Jesus os estava alertando da importân-cia da vigilância constante. As cinco néscias não apenas estavam despreparadas para a festa, como também, para a chegada do noivo. As prudentes estavam como a mulher virtuosa de (Pv 31): 18: “Ela percebe que o seu ganho é bom e sua lâmpa-da não se apaga de noite”. Mesmo tendo elas dormido como as outras cinco, tinham estas azeite para o suprimento. Por isso puderam acompanhar o noivo, entrar na festa e se alegrar com os demais.

 Jesus falou sobre o fim do mundo e dos sinais da consumação dos séculos. Ele contou e explicou a parábola das dez virgens aos seus discí-pulos, recomendando-lhes vigilância, para não serem surpreendidos naquele dia. 

Esta parábola chegou até nós, que também somos discípulos de Jesus. Somos chamados à vigilância de igual modo. Semelhante àquelas 10 virgens, precisamos ter nossas lâmpadas sempre acesas, mas igualmente às cinco prudentes preci-samos ter reservas para que elas nunca se apaguem. As outras cinco também tinham suas lâmpadas acesas, mas não tinham azeite suficiente para a chegada do noivo e o cortejo. Por isso foram cha-madas de néscias  ( sem discernimento, tolas).

Vemos nesta parábola a importância da lâmpada . Sem ela o caminho não é iluminado e nada pode ser visto. No Salmo 119: 105 aprende-mos que a Palavra é ”lâmpada para nossos pés e luz para o nosso caminho...”.  No livro de 1 Co 2: 14, encontramos: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”. Não basta ter a Pala-vra de Deus. É necessário o discernimento dela e somente pelo Espirito de Deus podemos discernir. As cinco néscias tinham as lâmpadas acesas, mas lhes faltava o azeite para mantê-las acesas. Não tiveram discernimento. 

A volta de Cristo está hoje, mais próxima do que nos dias da igreja primitiva. Temos um mandato de “ir e pregar o Evangelho”. Esta é a   MISSÃO da igreja. Somente com a Palavra, o discernimento e unção do Espírito, poderemos fazê-la de forma eficaz. O noivo está chegando e não sabemos a hora. Portanto, VIGIEMOS, pois os dias são maus. O Senhor, contudo, está conosco e com Ele somos mais que vencedores.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.