IGREJA METODISTA DE VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902


Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Dízimo
Rio, 14/7/2018
 

Dízimo? O que é?

Pr. Luiz Daniel Nascimento


 

“Irmãos, queremos que vocês saibam o que a graça de Deus tem feito nas igrejas da região da Macedônia. Os irmãos dali têm sido muitos provados pelas dificuldades. Mas a alegria deles foi tanta que, embora sendo muito pobres, deram suas ofertas com generosidade. Afirmo a vocês que eles fizeram tudo o que podiam e até mais ainda” (II Coríntios 8.1-3 A Bíblia na Linguagem de Hoje)

 

Considerando a grande contribuição para o Reino de Deus, para a Igreja do Senhor, do saudoso Rev. J. Cabral, que também foi um dos pastores de nossa amada Igreja Metodista em Vila Isabel, transcrevo neste artigo, conteúdo do seu livro A Décima Parte. Quando li o livro mencionado no ano de 1992, ele era Diretor e meu professor no Seminário Metodista, além de pastor ajudante aqui em Vila Isabel. Tê-lo como professor e fazer parte do convívio acadêmico com ele trouxe-me acréscimos que fazem uma benéfica diferença até hoje. 

A palavra “dízimo” é uma tradução de palavras hebraicas e gregas que significa a décima parte” (Heb. ma’aser e Gr. deka). O dízimo é uma contribuição obrigatória que o povo de Deus entrega para o sustento dos sacerdotes, levitas, do rei e do culto:

“... e a pedra que erigi por coluna será a casa de Deus; e de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo.” (Gênesis 28.22).

Por Que a Décima Parte

A razão dessa contribuição ser a décima parte da produção do ofertante, certamente está no fato de que o sistema decimal era muito conhecido pelos povos da antiguidade desde que aprendemos os dez dedos das mãos para calcular. Muitas vezes no Antigo Testamento o número dez aparece com significado simbólico e especial. É considerado como um número sagrado.

Mateus prova no seu evangelho (Cap. 8 e 9) o poder messiânico de Jesus pelo registro de dez milagres. Outros dois números sagrados de muita evidência na Bíblia são o três e o sete, cuja soma é exatamente dez.

Muitas pessoas pensam que o dízimo é coisa da Bíblia. Na realidade não é. A literatura extra-bíblica indica que a sua prática era comum a muitos outros povos de culturas diferentes. Desde os tempos mais remotos, a prática de oferecer sacrifícios, holocaustos e oblações é uma característica de todas as religiões.

Os meios usados para homenagear aos deuses sempre foram idênticos e oferecer-lhes presente era uma espécie de retribuição das bênçãos recebidas:

“Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho, e da gordura deste. Agradou-se o senhor de Abel e da sua oferta.” (Gênesis 4.3-4).

Certamente a décima parte foi instituída como valor básico de oferenda por ter sido considerada como o mínimo que agradaria a Deus sem sacrificar o ofertante. A primeira vez que aparece na Bíblia é em Gênesis 14.20. Entretanto, neste texto se percebe claramente que muito antes de Abraão, os habitantes da Palestina tinham o costume de dar o dízimo.

No próximo mês estaremos falando sobre o Por que em dinheiro.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.