IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902


Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Reflexões
Rio, 3/8/2019
 

Quem é o meu próximo (Lucas 10: 25-37)

Pr. Edmar Leonardo da Silva


 

Nosso texto fala sobre um homem que estava caído na estrada. Ele foi assaltado, espancado e deixado como morto e nem conseguia se mexer. 

 Nesse momento, passou um sacerdote, um homem dedicado ao serviço no templo de Deus. O sacerdote viu o homem prostrado e se afastou dele! Passou também um levita, um homem que também trabalhava no templo de Deus, cuidando de vários aspetos práticos relativos ao serviço divino. O levita viu o homem e também seguiu caminho sem o ajudar. Se nem dois homens considerados muitos santos fizeram nada, quem iria ajudar esse pobre homem? 

Passou um terceiro homem pelo caminho. Esse homem era samaritano, um herege impuro, desprezado pelos judeus. Mas, apesar da inimizade entre samaritanos e judeus, ele parou para ajudar o homem caído. O samaritano tratou de suas feridas e levou-o para uma hospedaria e lá, ele pagou todas as despesas do homem ferido até ele ficar recuperado!

Qual destes três parece ter sido o próximo diante daquele que caiu na mão dos salteadores? O doutor da lei respondeu: aquele que usou de misericórdia para com ele. E disse-lhe Jesus: Vai tu e faze o mesmo (Lucas: 10: 37).

Esta é para nós, uma lição de vida, um padrão a ser adotado como estilo de vida. Jesus contou esta história para mostrar o que é realmente importante para Deus. Sem amor, todas as outras coisas não têm valor. E o amor a Deus se expressa no amor ao próximo.

A Bíblia diz que quem não ama seu próximo não ama a Deus. Podemos até fazer muitas coisas para agradar a Deus: orar, ler a Bíblia, trabalhar na igreja, ensinar teologia,              dar ofertas, evitar a imoralidade... Mas, sem amor, nada disso tem valor!

A parábola do Bom Samaritano mostra como muitas vezes podemos nos tornar insensíveis, achando que estamos fazendo tudo certo, mas ignorando o essencial. O sacerdote e o levita, que deveriam estar cheios do amor de Deus, na verdade estavam tão frios que nem sentiram uma ponta de dó pelo homem ferido. Por outro lado, por vezes somos surpreendidos pelo amor de pessoas que nunca iríamos considerar. O samaritano não tinha razão nenhuma para ajudar o homem ferido, nem era esperado que ele fizesse alguma coisa. No entanto, ele tinha o amor de Deus dentro de seu coração. Ele não viu um inimigo odiado. Ele viu uma pessoa como ele, que precisava de ajuda. E então? Quem é meu próximo?

Jesus contou a parábola do Bom Samaritano porque alguém lhe perguntou quem era seu próximo, que deveria amar como a si mesmo. Com esta parábola, Jesus mostrou que o próximo é aquele que está ali, no seu caminho. 

Jesus não fez distinção entre amigos e inimigos. Ele simplesmente mandou amar a todos. Diante de Deus, todos têm o mesmo valor. Todos precisam do amor de Deus e todos devem oferecer o amor de Deus. Isto agrada a Deus mais que qualquer ritual ou ato religioso.

           Ame a Deus, ame seu próximo! 

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.