IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Reflexões
Rio, 17/5/2020
 

“… Até que eu, Débora, me levantei por mãe em Israel.” (Juízes 5:7)

Pr. Edmar Leonardo da Silva


 

Neste quinto domingo de Páscoa, celebramos o “Dia das Mães”. Certamente que toda mãe zelosa em amor e cuidado é um exemplo para nós. Como é lindo, nessa data, ver as mais diversas manifestações de carinho e agradecimento por elas.

O que seria de nós se não fossem as mães que sempre cuidaram de nós com amor, zelo e firmeza, etc. Sim, pois se tem algo que mães nos ensinam e exigem com toda razão é a obediência, e isso para o nosso próprio bem. E o melhor ainda é esse cuidado quando elas nos o exemplo da sua própria obediência ao Senhor. Afinal de contas, não existe pessoa mais copiada em atitudes do que a mãe. São elas que nos trazem ao mundo, nos amamentam, cuidam de nós. Passamos a maior parte de nossa infância, aos seus cuidados. Certamente os pais tem sua parcela de cuidado, mas as mães, sim, elas merecem todo o nosso carinho e reconhecimento.

Nossa personagem-título – Débora, foi um exemplo de vida, um exemplo de mãe, um exemplo de obediência a ser seguido. A Bíblia não nos diz muita coisa sobre Débora além de descrevê-la como uma profetisa, uma juíza muito estimada de Israel e a esposa de Lapidote (de quem não se tem mais referencia). Não sabemos se a descrição que as Escrituras fazem dela como “mãe em Israel” significa que ela teve filhos (não se tem referencia a eles) ou que cuidou de Israel como só uma mãe amorosa pode cuidar. A segunda nos parece mais aceitável.

Além disso, a Bíblia não nos indica por que Deus a escolheu para se tornar uma juíza. Sem dúvida, parece estranho a uma mulher, levando-se em conta o fato de que se tratava de uma cultura normalmente governada por homens. No entanto, Deus não está limitado à tradição, cultura ou mesmo às nossas conveniências. Ele não vê como os homens. Ele vê o coração dos indivíduos que lhe servem e os usa para os seus santos propósitos.

Débora foi uma serva que amou o Senhor e serviu a Ele fielmente. Sabemos que as pessoas confiavam nela e que até o

comandante do exército, Baraque, respeitou-a como líder.

Ao observarmos a vida de Débora, podemos ver claramente que não é necessário um determinado conjunto de credenciais para alguém se tornar um servo eficiente de Deus. Existe apenas um requisito: um coração fiel, ensinável e disposto a ser usado por Ele. O Senhor usa a pessoa que o ouve e lhe obedece.

Débora colocou-se inteiramente à disposição do Senhor, e Ele lhe deu a capacidade de ser vitoriosa. A obediência sempre traz bênção, e não necessariamente bênção material, mas uma vida plenamente satisfeita em Deus. Na

comunhão com Ele, esta comunhão deve ser prioridade. Isso resultará num grande impacto em nossas vidas.

Que possamos estabelecer esta meta de obedecer ao Senhor e vê-lo agir em nossas vidas assim como Débora (uma mãe em Israel). Que possamos nos levantar como exemplo de vida para os nossos filhos, irmãos, amigos e pessoas que ainda não tiveram um encontro com Cristo.

Que Deus nos abençoe!

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.