IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Advento Cristão
Rio, 8/12/2020
 

Advento - Tempo de Esperança e Conversão

Pr. Alberto Saraiva Sampaio


 

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai. ( João 1:14)

Estamos no período do Advento (do latim Adventus: “chegada”, do verbo Advenire: “chegar a”), que compreende os quatro domingos que antecedem o Natal. Advento é o primeiro tempo do ano litúrgico, momento de preparação e alegria, de expectativa, em que esperamos para celebrar o Nascimento de Jesus, o Senhor.

No Advento recordamos que na encarnação do Verbo, no nascimento de Jesus, o Senhor se torna presente na história, “o verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (Jo 1.14). Desta forma, a presença do Salvador na história confirma a promessa e a aliança estabelecidas entre Deus e o Seu povo.

Além disso, nesse período que nos preparamos para o Natal, também é a oportunidade de nos lembrar de que o Deus que veio para salvar o Seu povo, prometeu que virá para buscá-lo. O Senhor Jesus é “aquele que é, que era e que há de vir” (Ap 1.4), que realiza a salvação hoje, mas que a sua consumação plena será no “grande Dia do Senhor”, no final dos tempos.

Por conta disso, aumenta nosso compromisso de anunciarmos a salvação, somos exortados a respeito da responsabilidade missionária da Igreja. Toda a humanidade e a criação vivem em clima de advento, aguardam pela manifestação cada vez mais visível do Reino de Deus.

O que me espanta é a crescente banalização dos símbolos natalinos, o esquecimento dos nossos marcos de fé e, o que é ainda pior, a substituição deles por outros que nos afastam do real e verdadeiro sentido do Natal. O tempo do Advento, do aguardo e da expectativa pelo Salvador, propício para o anúncio da salvação, para o crescente compromisso missionário da Igreja, tornou-se o período de exaltação do materialismo, de idolatria, de ostentação, enfim, de distanciamento dos propósitos cristãos.

Espiritualidade do advento

No Advento somos impulsionados a reviver alguns dos valores essenciais cristãos: alegria cheia de expectativa e vigilante, a esperança, a simplicidade e a conversão. Nosso Deus é fiel às suas promessas, o Salvador virá, por isso, na esperança de sua vinda temos alegre expectativa, a certeza de que aquilo que esperamos acontecerá.

Não estamos diante de algo irreal, fictício, passado, mas diante do Deus real e verdadeiro, que se encarnou para salvar o pecador e trazer paz na terra. A esperança da Igreja é a esperança de Israel já realizada em Cristo, mas que só se consumará definitivamente na parusia, na volta do Senhor. Por isso, o brado da Igreja característico nesse tempo é "Maranata"! Vem Senhor Jesus!

O tempo do Advento é tempo de esperança, porque Cristo é a nossa esperança (1 Tm 1. 1); esperança na renovação de todas as coisas, na libertação das nossas misérias, pecados e fraquezas. Também aguardamos pela vida eterna. A esperança que nutrimos nos enche de paciência diante das dificuldades e tribulações da vida, diante das perseguições e das adversidades.

O Advento também é tempo propício à conversão. Sem um retorno de toda nossa vida a Cristo, não há como viver a alegria e a esperança na expectativa da Sua vinda. É necessário que "preparemos o caminho do Senhor" nas nossas próprias vidas, lutando incessantemente contra o pecado, através de uma maior disposição para a oração e mergulho na Palavra.

No tempo da expectativa pela celebração do nascimento do Senhor, o Natal, precisamos refletir a respeito da vivência da simplicidade e humildade. Ainda que percebamos uma opulência crescente, pessoas se afastando do verdadeiro sentido do Natal, como Igreja do Senhor, é a oportunidade de resgatarmos o verdadeiro sentido do Natal e anunciarmos a Cristo, vivo e poderoso, mas que nasceu numa simples estrebaria e foi colocado numa singela manjedoura.

Em dias cheios de incertezas, ameaças, mas também de pecados, orgulho, falta de amor e ausência de temor a Deus, que sejamos anunciadores da salvação, proclamadores da Palavra de Deus.

É tempo de aguardarmos a vinda do Senhor e encher o coração de esperança em Cristo, nosso Senhor. Maranata, ora vem Senhor Jesus!

O SENHOR nos abençoe e nos guarde!

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.