IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Oração
Rio, 30/4/2007
 

A oração e o poder do Espírito na Vida e no serviço (George W. Ridout)

ZZ Outros Colaboradores ZZ


 

O PODER DO ESPÍRITO NA VIDA E NO SERVIÇO

Por George W. Ridout (extraído do seu livro O PODER DO ESPÍRITO SANTO - capítulo VI)


O Espírito Santo pode conceder-nos o poder de que necessitamos para a obra cristã. "Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo" (Atos 1.8).

O Senhor Jesus ordena claramente que seus discípulos sejam cheios do poder do alto. "Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder" (Lucas 24.49).

Na Índia tem havido notáveis derramamentos do Espírito. O Bispo Badeley, da Igreja Metodista da índia, escreve:
"A grande necessidade de nossos dias é uma experiência de Pentecoste. Há, no ensino do Novo Testamento e na experiência apostólica, uma diferença entre crer no Espírito e estar cheio do Espírito. A promessa do Pai, de que os discípulos seriam batizados com o Espírito Santo, e a ordem de Cristo aos discípulos para que esperassem até que fossem revestidos do poder do alto, deveriam aplicar-se aos discípulos hoje como fora há dezenove séculos”.

“Alguns dos mais humildes obreiros de nossa igreja na zona de Bombaim suplicam o cumprimento desta promessa, de sorte que há um movimento espiritual sob a liderança dos indianos, pelas vilas do sul da Índia e zona de Hyderabad, que ministrará lições para toda a igreja”.

“Celebram-se reuniões assim pelas vilas, sob a direção de indianos, nas quais os crentes se congregam para orar e esperar até que recebam o poder do alto. A sua expectativa não é um poder a respeito do qual o Senhor falou aos discípulos. As reuniões se prolongam por dias com um objetivo definido em vista. Não há inovação nem fanatismo - somente oram e meditam e esperam o cumprimento da Promessa, a promessa do Pai, o sinal de nosso Cristo”.

A significação eloqüente para a igreja concretiza-se no fato que o poder está vindo. O Espírito Santo está descendo como nos tempos apostólicos. O maior líder entre esses obreiros — o homem que deu início ao movimento — não é universitário nem formado por qualquer faculdade de Teologia; apenas um homem cheio do Espírito Santo. A zona rural da Índia transforma-se completamente onde se realizam as Reuniões. Leigos e clérigos estão participando das bênçãos de Pentecoste. A franqueza e simplicidade com que se encara a questão de um adequado preparo espiritual são de causar vergonha a muitas congregações que consideram esta questão suprema de maneira vaga, teórica e impessoal.

Reforcemos esta verdade: o batismo do Espírito Santo é que limpa e purifica a alma. O fogo do Espírito deve queimar os pecados do coração e purificá-lo completamente. Não pode haver plenitude do Espírito sem um coração purificado; urge, portanto, que todos quantos almejam o dom do Espírito orem ao Senhor na atitude espiritual de Davi, no Salmo 51:

"Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que te comprazes na verdade no íntimo, e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova dentro em mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustenta-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti. Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua exaltará a tua justiça. Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca manifestará os teus louvores. Pois não te comprazes em sacrifícios, do contrário eu tos daria: e não te agradas de holocaustos. Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito não o desprezarás, ó Deus. Faze bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém. Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; e sobre o teu altar se oferecerão novilhos."

O que se segue ilustra perfeitamente o que o Espírito Santo pode fazer por nós em nossa vida pessoal.

Há anos disse um amigo a Mahan, Reitor da Universidade de Oberlin, na América do Norte: "Gostaria que o senhor conhecesse minha mãe. Para dar-lhe uma idéia do monumento de graça que é, basta dizer-lhe que teve sua infância arruinada porque lhe faziam todas as vontades. Durante anos passou de cama, com prostração nervosa. Tínhamos a impressão de que ninguém poderia cuidar dela nem suportar as contínuas manifestações de sua irascibilidade e cólera terríveis. Mas chegou à convicção de que pela graça e batismo do Espírito poderia gozar de descanso, calma, e domínio de si própria. Pôs o coração em busca de tal vitória. Seu fervor de espírito e oração era tal que seus amigos julgavam que enlouqueceria, e insistiram com ela para que abandonasse o Espírito Santo e a oração. A isso ela replicou: 'Morro na luta, ou então obtenho o que sei estar reservado para mim’. Finalmente, veio-lhe de maneira suave o batismo de poder. Daquela hora em diante não há o menor vestígio do gênio terrível que possuía. Sua serenidade e doçura de espírito são admiráveis. Agora não existe a mínima dificuldade para se tratar com ela. Muitas pessoas vêm de longa distância para ouvir a sua conversação celeste."

A Igreja necessita de vida de poder. Não há outro meio para alcançar tal poder senão o indicado por Cristo aos seus discípulos — dentro de poucos dias sereis batizados com o Espírito de poder. Para todos nós quer dizer: "permanecei até". Não devemos cogitar de descobrir, criar ou impelir esse poder, só pode ser recebido. Isso é o suficiente, é o plano de Deus, é o melhor. O poder é nosso, não meramente porque Deus existe, mas passa a ser nosso quando seu Santo Espírito se apossa de nossas vidas. Uma coisa é saber que o Espírito existe; outra bem diferente é possuí-lo. Bem diferente é ter certa luz do Espírito, e coisa muito diversa é ter o batismo do Espírito. Há notável diferença entre ter uma experiência ocasional do Espírito e ser revestido do Espírito com paz e poder.

Vem, ó Santo Espírito,
desperta minha alma,
Com celeste fogo
vem me transformar.
Purifica de todo o pecado
Este pobre coração;
Vivifica, santifica,
Meu espírito, ó Consolador.

O Espírito Santo na Oração
Depois do Pentecoste os discípulos se tornaram poderosos na oração. "Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo, e, com intrepidez, anunciavam a Palavra de Deus" (Atos 4.31).

O Espírito Santo é o Espírito de oração e intercessão.”Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis" (Romanos 8.26).

O grande evangelista presbiteriano, Charles G. Finney, disse: "Nada é tão difícil na religião cristã, tão raramente adquirido, como o espírito de oração. Sem isso, sereis fracos como a própria fraqueza. Com ele, sois irresistíveis. Se perderdes o espírito de oração, nada fareis, não obstante possuirdes a capacidade intelectual de um anjo. Períodos freqüentes de oração secreta são indispensáveis para conservar o fervor da comunhão celeste. Não permitas, ó Senhor, que os guias de tua Igreja sejam homens que não sabem orar!"

Finney, em seu poderoso ministério na América do Norte, quando em reuniões de avivamento levava consigo o Rev. Nash, o homem de oração. Comentava-se que antes de receber o batismo do Espírito, Nash era um dos pregadores mais enfadonhos do púlpito americano. Após o batismo do Espírito, tornou-se um dos homens mais poderosos em oração que o mundo já viu, e tinha poder quase irresistível em suas pregações. Em toda parte aonde ia, o povo sentia o coração abrasado por suas orações e pregação, como as árvores das selvas são movidas pelo vento.

Comentando sobre o que dissemos acima, o Dr. Asa Mahan afirma:
"1.°) Podemos entender agora o poder que temos em oração quando estamos cheios de fé e do Espírito Santo.
2.°) Podemos perceber claramente porque Deus concede suas dádivas mais preciosas, temporais e espirituais, segundo nossas orações.
3.°) Notamos o grave erro daqueles que limitam as operações e o poder do Espírito à verdade revelada de Deus."

Temos necessidade do Espírito Santo para desenvolver nossa vida de oração. Para muitos crentes a oração é mera formalidade ou costume. Muitos dedicam pouco ou nenhum tempo à oração; nunca aprenderam o segredo da oração, nem sua alegria e vitória. A vida de oração dos crentes é, em geral, muito fraca. Pouco sabem, ou quase nada, a respeito de orações respondidas ou orações que põem à prova as preciosas promessas divinas. Oh! quão pouco temos orado, e como conseqüência, quão fraco é nosso poder em nossa vida e serviço cristãos!

A oração traz resposta definida e realiza as promessas de Deus: "Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei cousas grandes e ocultas, que não sabes" (Jeremias 33.3).

A oração leva-nos à comunhão com Deus. "Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito" (João 15.7).

A oração nos auxilia a habitar em Deus e a fazer sua vontade. Quando negligenciamos nossa vida de oração, sem dúvida alguma esfriaremos na fé, o mundanismo começa a entrar em nós e aos poucos perderemos nossa comunhão com Deus. Orai, ó crentes, e aprendei a orar no Espírito Santo. "Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo" (Judas 1:20).

Entre os trabalhos do Espírito está o desejo e oração pela restauração de experiência e poder perdidos.

Christmas Evans, o grande pregador de Gales, conta-nos que perdeu seu poder e liberdade por envolver-se em controvérsias eclesiásticas, contendas, brigas etc; perdeu o ardor em suas pregações e não tinha alegria. Resolveu, então, buscar o Senhor em fervorosa oração.

Vejamos seu testemunho:
"Estava desgostoso, pois meu coração se esfriara em relação a Cristo e seu sacrifício e à obra do seu Espírito; coração frio — no púlpito, na oração particular e no estudo. De uma feita, ia de Dolgelly a Machipilleth, subindo a Cadair Idris, quando considerei que devia orar, apesar do fato que meu coração estava endurecido e meu espírito longe do Senhor. Comecei a orar em nome de Jesus e a tirania do pecado foi desaparecendo, o coração perdendo a dureza, dissolvia-se dentro em mim a montanha de gelo, e sentia o espírito aliviado de grande peso; as lágrimas corriam copiosas; senti-me, então, impelido a clamar pela visita Divina restaurando minha alma no regozijo da salvação, e que Ele visitasse as igrejas em Anglesea que estavam sob meus cuidados. Supliquei por todas as igrejas dos santos. Esta luta durou três horas. Levantava-se constantemente como as ondas impelidas pelos ventos fortes, e assim se prolongou essa luta a ponto de achar-me em grande fraqueza pelo pranto e lágrimas. Destarte, abdiquei do meu eu para entregar-me completamente a Cristo, corpo, alma, dons e trabalho — minha vida toda — cada dia e cada hora que me restavam; entreguei ao Senhor todos os meus cuidados. Assim o Senhor me livrou de ser tragado pelas ondas vorazes da controvérsia. No primeiro culto que dirigi depois desta experiência, senti que fora removido das regiões estéreis da geada espiritual para as pastagens verdejantes das promessas divinas. Restabeleceram-se os anseios que tinha por Deus em oração e ansiedade pela conversão de pecadores que manifestara no início do meu ministério em Leyn. Sentia-me inabalável no gozo das promessas divinas."

Consideremos outro notável exemplo do poder da oração. Numa igreja presbiteriana em Nova Iorque um seminarista lecionava uma classe de quarenta moças na Escola Dominical. Resolveu que deveria trabalhar pela conversão de cada membro da classe. Suplicava a Deus a conversão de cada aluna mencionando o nome. Orava por uma ou duas pessoas ao mesmo tempo e trabalhava pela sua conversão imediata. Algumas vezes, antes de conversar especificamente sobre a vida consagrada a Cristo, tinha absoluta certeza, em oração, de que tal pessoa seria convertida, o que realmente acontecia. A conversa quase sempre terminava com oração, em que previamente pedia à jovem que orasse silenciosamente e se consagrasse a Deus. Como resultado, dentro de três ou quatro anos quase todas as alunas da classe se converteram e raramente havia qualquer atividade naquela igreja em que essa classe não participava.

Na medida em que o crente continua vivendo no espírito de oração e em comunhão com Deus, haverá freqüentes derramamentos do Espírito como aconteceu com os discípulos depois do dia de Pentecoste. Lemos várias passagens em Atos dos Apóstolos — "Todos ficaram cheios do Espírito Santo" (Atos 4.31 etc.).


Ê muito sugestivo o incidente ocorrido na Inglaterra com o grande pregador inglês, Rev. Rowland Hill. Um filantropo entregou ao Rev. Rowland cem libras esterlinas para dar a algum ministro pobre. Julgando que seria inconveniente enviar todo o dinheiro de uma vez, o Rev. Rowland enviou 5 libras, e pôs um bilhete dentro do envelope — "Seguirá mais." Em poucos dias enviou outro envelope com outras cinco libras e escreveu novamente "Seguirá mais." Em dias subseqüentes enviou mais cinco libras com a mesma promessa — "Seguirá mais." E assim continuou até que o beneficiado, perplexo, recebeu as cem libras. Todas as bênçãos divinas têm, igualmente, tal mensagem "Seguirá mais”. "Eu perdôo teus pecados, mas ainda há mais." "Eu te justifico na justiça de Cristo, mas terás mais ainda”. "Eu te adoto em minha família, mas seguem ainda mais bênçãos”. "Eu te educo para o céu, mas seguirá mais”. "Eu te concedo graça sobre graça, mas ainda seguirá mais”. "Eu te auxilio até à velhice — mas segue mais ainda”. "Eu te fortaleço na hora da morte e quando passares à terra branca da imortalidade, seguirá mais ainda”.

O batismo do Espírito é uma experiência definida, precisa, tão real como a conversão, mas depois dessa experiência preciosa há mais bênçãos divinas que seguem em novas participações do Espírito, novos derramamentos do Espírito, nova unção do Espírito para a vida e serviço cristãos e também para os instantes de sofrimento e tribulações.


ALGUNS VERSÍCULOS PARA SUSTENTAR NOSSA FÉ:
Ezequiel 37.9 — "Vem dos quatro ventos, ó espírito, sopra sobre estes mortos, para que vivam."
Isaías 32.15 — "Até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto."
Joel 2.28 — "E acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne."
Ageu 2.5 — "O meu Espírito habita no meio de vós; não temais."
Lucas 11.13 — "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?"
Atos 10.44 — "Ainda Pedro falava estas cousas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.