IGREJA METODISTA EM VILA ISABEL
Fundada em 15 de Junho de 1902

Boulevard Vinte e Oito de Setembro, 400
Vila Isabel - Rio de Janeiro - RJ
CEP: 20551–031     Tel.: 2576–7832


Igreja da Vila

Aniversariantes

Metodismo

Missão

Artigos e Publicações

Galeria de Fotos

Links


Natal
Rio, 17/9/2007
 

Origem e significado de símbolos do Natal (Tirza Martins)

ZZ Outros Colaboradores ZZ


 

ORIGEM E SIGNIFICADO DE SÍMBOLOS DO NATAL
Tirza Martins (texto adaptado)

ÁRVORE DE NATAL – Há vários relatos sobre a origem da árvore de Natal, que se perdem em lindas histórias. Os povos ger-mânicos adoravam as árvores e em determinado dia, eram prati-cados sacrifícios humanos debaixo de um carvalho. Conta-se que um bispo cristão chamado Bonifácio teria impedido tais sacrifícios e, empunhando um machado de ouro, derrubou aquela árvore. Para surpresa de todos, surgiu um pinheirinho em seu lugar. Bonifácio explicou ao povo que o pinheiro era a árvore da vida, porque permanecia bem verde apesar do mais rigoroso inverno e da neve. Jesus é a videira verdadeira, a árvore da vida. Daí a representação da vida em Cristo. Os cristãos da Alemanha foram os primeiros a enfeitar árvores para o Natal. Usavam anjinhos, estrelas, brinquedos, nozes douradas e doces. E diz-se que Martinho Lutero foi o primeiro a colocar velas num pinheirinho, pois representavam as estrelas no céu. A maior das luzes era a Estrela do Natal que conduziu os magos até o Salvador Jesus.

VELAS – Antes da era cristã, as velas eram usadas nas satur-nálias, festas do Império Romano. Depois do advento de Cristo, os festivais pagãos foram substituídos pela celebração do Natal entre os cristãos. Nestas celebrações eram usadas velas como símbolos da luz – Jesus. Há muitas histórias e simbologias sobre as velas. Três velas de cores diferentes, por exemplo, podem ser usadas em honra à Trindade no período do Natal: uma é acesa na véspera do Natal, outra no dia do Natal e outra na véspera do Ano Novo.

PRESÉPIO – Foi introduzido em 1223 por Francisco de Assis, para transmitir, por meio de figuras, o sentido do Natal ao povo que não sabia ler, para que todos pudessem compreender a linda história do nascimento de Jesus. Em vários países, e mesmo no Brasil, fazem-se verdadeiras obras de arte, construindo miniaturas da cena de Belém em materiais diversos. Os presépios são retratos daquela primeira noite de Natal.

SINOS – Em todos os tempos, dos mais humildes aos mais grandiosos, os sinos lembram a grande data do Natal de Jesus. Carrilhões e sinos repicam em comemoração na noite de Natal.

PAPAI NOEL – A figura do homem sorridente, de faces rosadas, com roupas vermelhas e que distribui presentes e brinquedos, foi originalmente um bispo da Igreja Cristã na Ásia Menor, chamado Nicolau. Devido ao seu coração generoso e bom, ele vivia pelas ruas dis-tribuindo presentes e doces às crianças. Criou-se a lenda de que no Natal ele vinha a cavalo, acompanhado de seu servo, Pedro, deixando presentes para a criança. Com o tempo, no Ocidente, a figura foi-se transformando num velhinho gordo, alegre e bondoso, que passou a se chamar Santa Claus, para os norte-americanos; Chriss Kindle para os alemães, e Papai Noel para os brasileiros. Esta simbologia tem sido estragada pela ganância comercial, gerando soberba, vaidade e egoísmo, mudando o belo conceito do dar sem receber. Papai Noel deveria ser símbolo de amor e solidariedade que apontam para o grande amor de Deus...

PRESENTES – O primeiro presente para humanidade veio de Deus, que amou ao mun-do de tal maneira que lhe deu seu Filho unigênito... Presente significa dádiva, amor, fraternidade. Trocar presentes por ocasião do Natal já é uma tradição bem antiga, porém a forma de dar, varia de acordo com os costumes de cada país.

Voltar


 

Copyright 2006® todos os direitos reservados.